Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Inteligência Artificial

Representante da ONU afirma que IAs estão atrapalhando o órgão

Segundo Melissa Fleming, a desinformação gerada por inteligências artificiais no ambiente digital tem impactado o trabalho das Nações Unidas

Redação Publicado em 20/12/2023, às 15h37

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografia Melissa Fleming - Getty Images
Fotografia Melissa Fleming - Getty Images

Em um discurso para o Conselho de Segurança das Nações Unidas na última terça-feira, 19, Melissa Fleming, que atua como secretária-geral de comunicação global do órgão internacional, falou sobre o perigo oferecido pelas IAs. 

Com a multiplicação de tecnologias de inteligência artificial no ambiente digital nos últimos tempos, a disseminação de fake news e desinformação foi acelerada, o que já está impactando até mesmo a própria ONU.

Conforme alertado por Fleming e repercutido pelo Media Talks, portal do UOL, essas ferramentas possibilitam que “grandes volumes de desinformação convincente, em texto, áudio e vídeo, sejam produzidos em escala, por custos baixos e pouca intervenção humana”. 

Assim, é facilitada a propagação de narrativas enganosas, com algumas delas tendo prejudicado os esforços pela paz, que é o grande objetivo das Nações Unidas. 

Aqueles que trabalham para manter a paz, prestar ajuda humanitária e denunciar atrocidades estão se tornando alvos de histórias distorcidas. Isto pode minar as suas missões, colocando as populações e os doadores contra eles”, acrescentou a representante da entidade. 

Problemas 

Melissa Fleming deu ênfase a quatro grandes problemas criados pelas inteligências artificiais. O primeiro deles consiste em ataques direcionados no qual a desinformação é usada como arma de guerra, por exemplo, enquanto o segundo é o aumento em conteúdo de pornografia infantil gerado artificialmente através da tecnologia.

O terceiro, por sua vez, é a interferência nas eleições de países; enquanto o quarto e último é a disseminação de materiais anti-ciência, que servem para criar dúvidas em relação ao conhecimento científico. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!