Notícias » Brasil

Salvador: medicamento para intubação acaba em 10 dias, segundo prefeito

A preocupante declaração foi realizada na última sexta-feira, 19, durante uma coletiva no Facebook

Giovanna Gomes, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 20/03/2021, às 11h22

Ilustração do coronavírus
Ilustração do coronavírus - Wikimedia Commons

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM) declarou em uma coletiva realizada por meio Facebook na última sexta-feira, 19, que a cidade tem medicamento para intubação apenas para os próximos dez dias. Conforme o político, os fornecedores do relaxante muscular Rocurônio estão tendo dificuldades para entregar o remédio. As informações são do UOL.

De acordo com os dados mais recentes, 4.339 pessoas morreram na capital baiana desde o início da pandemia. Além disso, atualmente, 85% dos leitos dos hospitais estão ocupados.

Porém este triste cenário não se restringe à região da Bahia. Em razão do grande aumento do número de casos de Covid-19, governantes de todo o Brasil têm relatado falta de medicamentos para o mesmo fim, segundo um levantamento realizado pelos governos estaduais e entregue à Anvisa.

De acordo com o documento, 18 Estados do país estão com estoques de neurobloqueadores muito baixos. Outro fator preocupante é o risco da falta de oxigênio, à semelhança do que ocorreu no Amazonas.

Em nota, a Anvisa afirmou que tem atuado para que não haja falta de medicamentos nos hospitais e que, desde o início de 2020, foram adotados procedimentos com a finalidade de tornar os remédios mais acessíveis.