Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Traição

Segundo estudo, se colocar no lugar do parceiro reduz as chances de traição

A pesquisa indica que uma atitude de empatia pode reduzir a tentação da infidelidade; entenda!

Luisa Alves, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 02/02/2023, às 15h19

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem ilustrativa de mãos de casal - Foto de  Valentin Antonucci no Pexels
Imagem ilustrativa de mãos de casal - Foto de Valentin Antonucci no Pexels

A traição pode ser evitada se um parceiro "se colocar no lugar do outro", diz estudo. Apesar dessa simples atitude de empatia ser fundamental em relações monogâmicas, muitos não conseguem manter a exclusividade sexual, culminando em muita dor. Especialmente para quem é traído.

Segundo o estudo publicado no Journal of Sex Research, em dezembro, tentar sentir o que o parceiro sente pode ajudar em outras questões destrutivas na relação, além de evitar a tentação da traição.

A pesquisa foi realizada por estudiosos da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, e mostrou que essa mudança de perspectiva consegue diminuir o interesse sexual e romântico por outras pessoas e, como um bônus, pode até mesmo aumentar o interesse sexual pelo parceiro e o compromisso na relação.

Estudo

Foram selecionados para a pesquisa, 408 voluntários heterossexuais, sendo 213 mulheres e 195 homens, com idades entre 20 e 47 anos. Eles mantinham, a pelo menos quatro meses, relacionamentos monogâmicos. 

De maneira aleatória, eles foram convocados, então, para adotar uma postura de empatia ou não com relação aos seus parceiros. Eles tiveram de avaliar ou pensar em pessoas atraentes enquanto os psicólogos registravam as suas expressões de interesse por esses terceiros e seu compromisso e desejo por seus parceiros atuais.

De acordo com a pesquisa, se esses voluntários se colocavam no lugar de seus parceiros, além de sentirem a queda de seu interesse por esses estranhos, seu desejo pelo par também aumentava, o que propiciava, além da redução da infidelidade, a potencialização da relação existente. Essa atitude não impede uma traição, mas diminui o desejo de trair. 

Empatia

A empatia deveria ser um pilar essencial para o mantimento de uma relação especialmente romântica, no entanto, como repercutido pela revista Galileu, algumas pessoas podem ser infiéis aos seus parceiros e isso se dá por diversos motivos.

O professor na Escola de Psicologia Ivcher da Universidade de Reichman, Gurit Birnbaum, explica, em comunicado, que mesmo quando as pessoas se dizem contentes em suas relações, a traição pode ocorrer. E para saber o motivo é necessário analisar o contexto.

O indivíduo pode não conseguir lutar contra a tentação ao estar com uma pessoa que considera atraente devido ao consumo de álcool, ao estresse ou ao cansaço. Também existem os casos do medo da intimidade, conforme o relacionamento avança, o que faz com que as pessoas traiam para manter o controle e uma certa distância na relação.

Harry Reis, professor do reitor em artes, ciências e engenharia em Rochester, explica também que, na maioria dos casos, homens tendem a trair por não se sentirem sexualmente satisfeitos e as mulheres por sentirem que não estão satisfeitas emocionalmente.

Trair é priorizar os próprios objetivos sobre o bem do parceiro e do relacionamento, então ver as coisas da perspectiva da outra pessoa dá uma visão mais equilibrada dessas situações”, completa o professor.

Mesmo que os parceiros românticos dos voluntários não tenham feito parte do experimento, os pesquisadores acreditam que os benefícios da empatia se estendam a eles também, promovendo a compreensão, proximidade e cuidado. Isso mesmo que apenas um dos parceiros adote a estratégia.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!