Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / A Sociedade da Neve

A Sociedade da Neve: Veja como os sobreviventes da tragédia participaram do filme

Sucesso entre brasileiros na Netflix, A Sociedade da Neve retrata um acidente de avião real que entrou para a História

por Thiago Lincolins

tlincolins_colab@caras.com.br

Publicado em 06/01/2024, às 13h12 - Atualizado em 09/01/2024, às 10h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Cena do filme 'A Sociedade da Neve' - Divulgação/Netflix
Cena do filme 'A Sociedade da Neve' - Divulgação/Netflix

Lançado pela plataforma de streaming Netflix, 'A Sociedade da Neve' retrata um dos maiores acidentes aéreos da História. Em outubro de 1972, um avião que contava com 45 pessoas caiu em uma área isolada da cordilheira dos Andes.

Os sobreviventes da tragédia, entretanto, precisaram encarar o medo, baixas temperaturas e até mesmo se alimentar dos corpos das vítimas da tragédia para não morrerem de fome. O pesadelo só acabou após mais de 70 dias. 

O filme, o mais assistido por brasileiros neste sábado, 6, tem direção de Juan Antonio Bayona e fora adaptado da obra homônima escrita por Pablo Vierci e lançada em 2008, explica o Tudum, site oficial da Netflix. Maior fonte sobre o episódio, ele entrevistou os sobreviventes da tragédia. 

Bayona queria "contar essa história da perspectiva de cada um dos mortos. Ao fazer isso, estávamos alcançando uma abordagem mais espiritual", disse ele ao veículo USA Today. "A ideia aqui era dar aos sobreviventes a oportunidade de usar o seu testemunho para dar voz aos mortos". 

Memórias

Como resultado, fez entrevista com os sobreviventes da tragédia. Em relato à Netflix, Belén Atienza, um dos produtores do filme, disse que as pessoas que viveram o acidente foram importantes para entender o que aconteceu naquele outubro de 1972.

"Os 15 sobreviventes que ainda estão vivos — e que são testemunhas da história — foram fundamentais para compreender a magnitude do que aconteceu lá", enfatizou Belén Atienza.

Ao USA Today, Bayona explicou que os sobreviventes, agora na casa dos 70 anos, se sentem mais confortáveis para compartilhar o que viveram após o acidente. Assim, foram importantes para criar os personagens no filme. Os atores também tiveram contato com os sobreviventes.

"Acho que alguns dos sobreviventes, após 50 anos da tragédia, estavam mais abertos para falar sobre o que aconteceu", explicou. "Estou pensando, por exemplo, em Adolfo 'Fito' Strauch. Conversar com ele ajudou muito na formação de seu personagem no filme, e ele teve um papel muito importante. Com seus primos, Daniel Fernandez e Eduardo Strauch, eles foram responsáveis por a organização do grupo após a morte do capitão" e da tripulação". 

Ao mesmo tempo, o filme também contatou os familiares das vítimas da tragédia, explica o Tudum. "Os sobreviventes foram fundamentais. O entusiasmo deles alimentou o filme e minha perspectiva", relembrou Bayona à Netflix. "Foi essencial para os [atores] se conectarem com os sobreviventes e outras famílias".

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!