Notícias » Mundo animal

Tinha 56 anos: Morre o rinoceronte-branco do sul mais velho do mundo

O falecimento de Toby foi anunciado por porta-voz de zoológico italiano

Fabio Previdelli Publicado em 12/10/2021, às 12h55

Imagem ilustrativa de um rinoceronte-branco do sul
Imagem ilustrativa de um rinoceronte-branco do sul - Pixabay

Nesta terça-feira, 12, uma porta-voz do Parco Natura Viva, um zoológico italiano localizado na cidade de Verona, anunciou a morte de Toby: que até então era o rinoceronte-branco do sul mais velho do mundo, com 54 anos. 

Em entrevista à AFP, Eliza Livia Pennacchioni, representante do estabelecimento, confirmou que “Nonno Toby” faleceu no último dia 6 de outubro. “Ele desmaiou no caminho de volta para seu abrigo noturno e depois de cerca de meia hora seu coração parou”. 

Agora, o animal será embalsamado e ficará em exposição no museu de ciências MuSe de Trento. Por lá, fará companhia ao leão branco Blanco, que morreu há cerca de cinco anos, conforme explica Eliza.  

Segundo explica matéria da AFP, rinocerontes-brancos como Toby costumam viver até 40 anos quando estão em cativeiro — ou 30 quando soltos na natureza. O Parco Natura Viva já havia presenciado a morte da fêmea Sugar, em 2012. Agora, o local conta apenas com Benno, que tem 39 anos.  

Maior mamífero terrestre depois do elefante, o rinoceronte-branco do sul pode medir até 2 metros de altura e pesar mais de 3.500 quilos. Atualmente, de acordo com dados da WWf, a população do animal no mundo é de cerca de 18.000 rinocerontes.  

A realidade, no entanto, é bem diferente de outra subespécie: a do rinoceronte-branco do norte. Conforme noticiado pela equipe do site do Aventuras na História, o último macho entre eles morreu há três anos. A um passo da extinção, apenas dois espécimes — ambas fêmas — sobrevivem no mundo, em uma reserva natural no Quênia.