Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Chêchenia

Três pessoas são mortas na Chechênia após vídeo de sexo grupal

Líder da República, Ramzan Kadyrov, é conhecido por perseguir membros da comunidade LGBTQIA+

Redação Publicado em 07/06/2022, às 19h58

Ramzan Kadyrov - Divulgação/Youtube/BBC News
Ramzan Kadyrov - Divulgação/Youtube/BBC News

Três pessoas foram assassinadas por policiais da Chêchenia, após vídeo de sexo grupal que viralizou. Os agentes, conhecidos por torturar população LGBTQIA+, teriam se irritado com imagens de dois homens e duas mulheres fazendo sexo.

A informação foi divulgada pela Rádio Free Europe, que relatou que os quatro desapareceram na capital da Chêchenia, Grozny, em abril. Uma das mulheres foi liberada por não ser chechena. A suposição é de que os outros três tenham sido mortos e enterrados em um cemitério na vila de Dyshne-Vedeno. Os moradores do local afirmam que viram três sepulturas novas.

As identidades dos quatro não foram relevadas e nem a nacionalidade da mulher liberada. Eles teriam desaparecido depois da polícia receber a ordem para prendê-las. As informações são do site UOL.

Perseguição à comunidade LGBTQIA+

A Chêchenia é uma área controlada por Vladmir Putin e por seu aliado Ramzan Kadyrov, chefe da República Chechena conhecido por torturar membros da comunidade LGBTQIA+. 

Líder da Chêchenia desde 2007, Ramzan Kadyrov é acusado de crimes contra a humanidade, como a operação em campos de concentração contra gays. Os agentes acusados de matar os três participantes do vídeo, teriam agido a mando de um esquadrão da morte, do qual Ramzan Kadyrov faria parte. As informações são do site Istoé.

O líder também é acusado de desaparecimentos forçados, tortura e restringir os direitos das mulheres.