Matérias » Mundo

A curiosa cidade quase que subterrânea da Austrália

Coober Pedy é uma cidade única, que atrai as pessoas por meio de sua abundância de pedras preciosas

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 23/01/2022, às 10h00

Coober Pedy, capital mundial da opala
Coober Pedy, capital mundial da opala - Getty Images

Conhecida mundialmente como capital da opala, uma pedra preciosa que era cobiçada por diversos reis durante a Antiguidade, Coober Pedy é uma pequena cidade australiana, que conta com diversas minas. O município conta com apenas cerca de 3 mil habitantes, e há um motivo para isso: Coober Pedy é uma cidade subterrânea. 

Há vistas diferenciadas na região, como as chaminés que aparecem no chão da superfície, que na verdade operam como poços de ventilação para as casas que se encontram debaixo da terra. Elas recebem o nome de "dugouts", por serem covas escavadas pelos próprios moradores como forma de escapar do calor do deserto australiano.

Outra realidade

E não são apenas as casas que são subterrâneas na cidade de Coober Pedy, porque os hotéis, bares, galerias de arte, igrejas e lojas também não podem ser encontrados com tanta facilidade na superfície. Os moradores da região justificam a escolha dizendo que ficar debaixo da terra ajuda a amenizar as temperaturas e os protege. 

Getty Images

Aqueles que vieram para Coober Pedy se instalar permanentemente, no entanto, buscavam por opalas, que possuem gemas que podem chegar ao valor de milhares de dólares. As informações são da BBC. 

Quem descobriu o local foi William Hutchison, um jovem que tinha apenas 14 anos, e o fato se deu durante o ano de 1915. Hutchison viajava com seu pai e dois de seus sócios pelo sul da Austrália em busca de ouro.

A curiosa descoberta

A descoberta aconteceu após William desobedecer o pai e se perder durante a noite: os adultos estavam preocupados, mas o menino chegou horas depois com uma bolsa cheia de opalas. E as descobertas não pararam por aí, porque o jovem também foi capaz de encontrar outra raridade na região, a água doce, pouco vista no deserto. 

As opalas australianas, segundo a BBC, foram resultados de condições de mais de 100 milhões de anos atrás. Quando o mar da Eromanga, que cobria o continente australiano, começou a secar, fluidos se dissolveram em areia de sílica rica em quartzo e depois se tornaram as opalas preciosas que conhecemos hoje.

Getty Images

E essas pedras preciosas continuam sendo um fenômeno que atrai turistas e vendedores, já que até os dias de hoje não são fáceis de se encontrar. A mesma febre de 1915 nunca saiu da cidade australiana de Coober Pedy, e há pessoas do município que já estão inseridas dentro dessa indústria há décadas.

Nunca dá para saber o valor que tem a opala quando você a desenterra. Ela sempre parece maior, melhor, mais brilhante embaixo da terra, mas na superfície você não a vê da mesma forma que da primeira vez", disse Sandy Williams, uma guia turística local que passou 20 anos buscando por opalas. 

A mineração dentro da região da cidade subterrânea de Coober Pedy se mantém, e assim são formados campos de opala, com montes de areia e buracos que se estendem até o horizonte, segundo informações da BBC.

As minas passam a se multiplicar diariamente, com escavações diárias que são feitas por pessoas buscando por sorte e possíveis tesouros.