Matérias » Bizarro

'Avril Lavigne está morta': a teoria conspiratória que a internet não deixa morrer

Entre 2003 e 2004, uma suposta mudança na aparência da cantora fez com que um fã brasileiro criasse uma bizarra conspiração

Pamela Malva Publicado em 16/01/2021, às 11h00

Fotografia Avril Lavigne durante entrevista
Fotografia Avril Lavigne durante entrevista - Wikimedia Commons

Quando tinha apenas 17 anos, Avril Ramona Lavigne, uma garota loira com um estilo punk-rock, foi descoberta pelo produtor Antonio "L.A." Reid. Naquela época, em meados de 2001, ela conquistou o empresário com sua personalidade musical.

Nas mãos do executivo, que também era um artista, Avril explodiu no mundo da música, ultrapassando marcas inacreditáveis. Com seu primeiro álbum, lançado em 2002, ela se tornou a cantora solo mais jovem a alcançar o topo das paradas no Reino Unido.

Intitulado “Let Go”, o álbum vendeu mais de 20 milhões de cópias e, de repente, Avril conquistou o mundo. Em 2003, contudo, uma mudança drástica no comportamento da cantora fez com que uma bizarra teoria da conspiração surgisse entre os fãs.

Fotografia de Avril Lavigne durante show / Crédito: Wikimedia Commons

 

Substituição

Tudo começou quando as músicas, a voz, o estilo e até mesmo alguns traços do rosto de Avril pareceram mudar de um 'dia para o outro', segundo fãs. Revistas chegaram a teorizar que a jovem teria passado por alguns procedimentos estéticos.

No dia 6 de maio de 2011, entretanto, um fã brasileiro da cantora fez uma pergunta intrigante em um blog criado por ele mesmo. E se, logo após seu primeiro álbum, Avril Lavigne tivesse morrido, sendo substituída por uma sósia quase idêntica?

Hoje com mais de 3,5 milhões de visualizações, a página “Avril está morta” viralizou. Nela, o autor explica que a cantora teria cometido suicídio em meados de 2003 e, para continuar aproveitando sua fama, a gravadora colocou uma sósia em seu lugar.

Foto da Avril "verdadeira" / Crédito: Wikimedia Commons

 

O começo de uma polêmica

“É assustador a quantidade de coincidências que se encaixam de forma surpreendente”, explicou o fã. “Por isso resolvi criar esse blog, onde reuni todas as coincidências que supostamente apontariam para a morte de Avril e sua substituição.”

Para o autor da teoria, os problemas da cantora começaram quando seu avô faleceu. Mais tarde, cercada por holofotes, ela foi em busca da ajuda dos pais, mas não os encontrou em casa. Assim, desesperada, ela teria cometido suicídio por enforcamento.

Toda essa trágica narrativa, segundo a teoria, foi escondida nas letras das canções "Nobody's Home" e "My Happy Ending". Logo depois da morte da cantora, sua sósia, Melissa Vandella, teria assumido seu lugar nos palcos.

Imagem da "Nova Avril", segundo a teoria / Crédito: Wikimedia Commons

 

Segunda cantora

Em resumo, o blog afirma que Melissa era uma espécie de dublê de Avril, que servia para despistar fãs na rua, por exemplo. Depois de 2003, contudo, ela virou a própria cantora, a "Nova Avril", que performava, criava letras e ainda gravava novas músicas.

Foi nessa época que a cantora, sósia ou não, lançou o álbum “Under My Skin”. Para os fãs, todavia, o novo disco era só mais uma prova de que a jovem não era mais a mesma. As canções estavam diferentes demais, tanto em estilo, quanto em tom.

Segundo a teoria da conspiração, seria nesse álbum que a Nova Avril estaria fazendo pequenas homenagens para a cantora falecida, deixando pistas do que teria acontecido. Principalmente na música “Nobody's Home”, uma das mais citadas pelos fãs.

Pistas ao vento

De repente, tudo na vida da cantora corroborava para a validação da teoria. Desde a finura do nariz (que teria mudado entre 2003 e 2004), até o tom de voz da artista original — um mezzo —, que seria diferente do da nova Avril — um soprano. 

Para a cantora, fosse ela Melissa ou Avril, no entanto, tudo aquilo parecia surreal. Em 2017, quando questionada, a artista ironizou: "Não, eu não estou morta. Estou aqui”. No ano seguinte, ela questionou: "Sim, algumas pessoas pensam que eu não sou a 'verdadeira eu', o que é muito estranho. Tipo, por que eles pensariam isso?".

Em 2020, quando a cantora completou 36 anos, a teoria ganhou um novo capítulo. Tendo retornado depois de algum tempo longe das redes sociais, Avril voltou a viralizar, já que, para muitos, ela parecia não envelhecer.

Desbancando uma crença

Por mais 'coerente que pareça ser', contudo, a teoria não é verdadeira, além de se basear em suposições. A começar por Melissa Vandella, que, na verdade, é a criadora do maior fã clube de Avril e não se parece nada com ela.

Quanto à mudança de aparência, estilo e tom de voz, a resposta é muito mais simples do que parece: o tempo. Avril era uma adolescente quando começou a cantar. Conforme amadurecia, ela passou por transformações, como qualquer outra pessoa passaria.

Apesar de divertida, então, a teoria não pode passar disso: uma espécie de entretenimento. “Não é nem uma coisa nem outra, trata-se apenas de uma teoria baseada em elementos reais”, explicou o fã brasileiro responsável pela polêmica.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Grandes Mistérios da História: A teoria da conspiração e os segredos por trás dos acontecimentos, de Sérgio Pereira Couto (2015) - https://amzn.to/3e7h9CC

O livro das conspirações, de Edson Aran (2016) - https://amzn.to/2Y5gpIU

Política, Ideologia e Conspirações, de Garry Allen e Larry Abraham (2017) - https://amzn.to/30MLQZZ

A conspiração franciscana, de John Sack (2007) - https://amzn.to/3fq3N4P

Conspiração Terra Plana, de Ricardo Max (2018) - https://amzn.to/2AH2Sy5

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W