Matérias » Curiosidades

Bodas de ouro arriscadas: O homem que comeu um frango enlatado de 50 anos

Em 2006, um britânico comeu o alimento guardado há meio século para comemorar seus 50 anos de casamento; segundo ele, tinha gosto de frango

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 09/02/2021, às 08h00

Imagem ilustrativa de comida enlatada
Imagem ilustrativa de comida enlatada - Pixabay

Guardar presentes de casamento é uma tradição que pode ser observada nos mais diferentes países. No Brasil, na Inglaterra ou nos Estados Unidos, muitas pessoas querem lembrar do que pode ser considerado um dos mais importantes dias de suas vidas por meio de itens que foram recebidos no evento por convidados.

Enquanto podemos considerar louças alguns dos presentes mais comuns no Brasil, um casal de da cidade de Denton, na Grande Manchester, Inglaterra, recebeu e inclusive guardou um item muito peculiar do dia de seu casamento, que aconteceu há 65 anos, em 1956. Tratava-se de frango enlatado.

Quando Les e Beryl Lailey se casaram, eles não tinham muito dinheiro. Foi o que contou Lailey à BBC News em fevereiro de 2006, ano em que a união completou 50 anos. E esses 50 anos eram esperados pelo casal, principalmente pelo ex-soldado do Exército Britânico, que na época estava com 73 anos. 

“Quando nos casamos, eu tinha acabado de sair do Exército e tínhamos muito pouco dinheiro, então fizemos nosso próprio bufê”, explicou o inglês. "Recebemos uma cesta de presente e incluímos este frango inteiro em uma lata. Não o usamos, embalamos e guardamos”.

"Tive de voltar para o Exército quase imediatamente depois de nos conhecermos, mas mantivemos contato escrevendo cartas. Voltei para casa e nos casamos", acrescentou o ex-soldado.

O casal com a lata / Crédito: Divulgação

 

Era uma lata de Buxted Chicken, considerada uma iguaria no país pós-guerra e que ficou guardada no armário da família por meio século. Toda vez que se mudavam, carregavam a antiga lata de frango consigo, gerando quase uma tradição que durou exatamente cinco décadas, até ele ser de fato comido. 

A ideia surgiu de Lailey: “Nós o mantivemos seguro e eu sempre disse 'no meu 50º aniversário de casamento, vou comer aquele frango' — foi o que fiz". Foi assim que ele comemorou as bodas de ouro do seu casamento com a esposa. Uma homenagem peculiar, mas única.

O frango de 50 anos poderia ter causado mal ao idoso, como é de se esperar com alimentos antigos e estragados. Mas ele afirmou que estava bem, não se sentindo mal desde que tinha comido o enlatado. Para ele, tinha gosto de...frango. 

Na época, a professora Eunice Taylor, especialista em segurança alimentar da Universidade de Salford, explicou os riscos à BBC News. Ela disse que “alimentos enlatados podem durar indefinidamente se forem selados adequadamente, embora a vida útil normal seja de cerca de seis meses”.

E acrescentou: “Se for feito em altas temperaturas e sob alta pressão, o processo deve criar um vácuo apertado. Se alguém vai comer comida enlatada velha, sugiro que aqueça bem antes de tudo, apenas no caso de ser mais seguro."

No passado, empresas não eram obrigadas a estabelecer o prazo de validade dos alimentos, o que hoje está presente na maioria dos produtos que consumimos. Ainda assim, segundo reportagem sobre segurança alimentar publicada pelo Estadão, comidas enlatadas geralmente têm validade de dois anos.

No entanto, o site americano Eat By Date fez uma lista com alimentos que podem ser comidos depois do prazo de validade, e comida enlatada é uma delas. O portal usou dados da Food and Drug Administration, Ministério da Agricultura dos EUA. 

Mesmo que alimentos enlatados possam ser comidos até depois de um ano da data segura de ingestão, ainda está muito longe do tempo do frango enlatado comido por Lailey. Como ele ficou bem depois de ter ingerido uma comida de meio século ainda é um mistério.


++Saiba mais sobre a medicina por meio de grandes obras disponíveis na Amazon Brasil:

Medicina Macabra, de Morris Thomas (2020) - https://amzn.to/2RzES5S

Medicina Dos Horrores, de Lindsey Fitzharris (2019) - https://amzn.to/2uEVDDw

Cambridge - História da Medicina, de Roy Porter (2008) - https://amzn.to/38ZeyHN

Doenças que mudaram a história, de Guido Carlos Levi (2018) - https://amzn.to/33woA1R

A grande mortandade, de John Kelly (2011) - https://amzn.to/2vsqnZa

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W