Matérias » Curiosidades

Do carnaval a escravidão: 5 fatos que marcaram a viagem de Darwin ao Brasil

Naturalista visitou nosso país durante sua expedição a bordo do HMS Beagle

Fabio Previdelli | @fabioprevidelli_ Publicado em 16/04/2022, às 12h13

O naturalista Charles Darwin
O naturalista Charles Darwin - Domínio Público via Wikimedia Commons

O naturalista Charles Darwin tinha apenas 23 anos quando chegou ao Brasil. Servindo como uma espécie de assistente do cientista Robert Fitzroy, o britânico deixou sua terra natal em 27 de dezembro de 1831 à bordo do HMS Beagle. 

Durante sua expedição, planejada inicialmente para durar apenas um ano, Darwin teve a oportunidade de estudar a fauna e flora brasileira, e se encantar com as belezas naturais de nosso país. 

O HMS Beagle na costa sul-americana/ Crédito: Domínio Público

Os quase cinco anos de expedição renderam ótimos frutos. Além do essencial 'A Origem das Espécies', lançado em 1859, o britânico também publicou a ‘Viagem do Beagle’, onde compartilha suas memórias da viagem e ainda apresenta um diário com detalhes sobre diversas áreas de estudo, como a antropologia, biologia e geologia. 

Saiba mais sobre a viagem de Charles Darwin ao Brasil através de 5 curiosidades descritas pelo naturalista em seu diário:

1. Visita à Salvador

Embora Fernando de Noronha tenha sido o primeiro ponto de parada de Charles Darwin no Brasil, foi Salvador que chamou a atenção do naturalista. Ele ficou encantado com a natureza da região. Já a chuva tropical daqui o fez lembrar um pouco da Inglaterra. 

Fui surpreendido por uma tempestade tropical. Procurei me abrigar debaixo de uma árvore, cuja copa cerrada seria impermeável à chuva comum da Inglaterra. Aqui, porém, após alguns minutos, uma pequena cachoeira descia pelo enorme tronco”, relatou em seu diário. 
O naturalista Charles Darwin/ Crédito: Getty Images

Mas nem mesmo esse fator o fez deixar de se encantar por Salvador. “Delícia é termo insuficiente para dar conta das emoções sentidas por um naturalista que, pela primeira vez, se viu a sós com a natureza no seio de uma floresta brasileira”.


2. Darwin folião

Mas nem tudo foram flores para o britânico. Ele esteve na capital baiana entre o final de fevereiro e a primeira quinzena de março. Sendo assim, Charles Darwin conheceu o Carnaval baiano. Mas a festa tradicional não o agradou tanto. 

Hoje é o primeiro dia de Carnaval, mas Wickham, Sullivan e eu não nos intimidamos e estávamos determinados a encarar seus perigos. Esses perigos consistem principalmente em sermos, impiedosamente, fuzilados com bolas de cera cheias de água e molhados com esguichos de lata”, descreveu. 

Apesar de parecer determinado a encarar os foliões, a experiência não foi a melhor possível. Ensopado após ser atingido pelas bolas de água, Darwin ainda foi coberto por farinha. "Difícil manter nossa dignidade", resmungou.


3. Um deleite para o naturalista

Após 18 dias em Salvador, o britânico foi até o Rio de Janeiro, por onde passou quatro meses. Todo o trajeto da viagem serviu para Darwin se maravilhar com a infinidade de espécies que viu. 

A nossa flora também impressionou o pesquisador. Segundo matéria da Superinteressante, ele se encantou tanto pela bananeira que sugeriu que o pai plantasse um pé em casa. O pedido foi acatado, mas a árvore cresceu tanto que ocupou toda sua estufa. 

Charles Darwin/ Crédito: Getty Images

A biodiversidade brasileira deixou o naturalista encantado. Enquanto esteve no Rio, fez uma grande coleta de insetos, plantas e aves, que foram enviadas em navios até Londres, onde eram classificadas e analisadas.


4. A burocracia brasileira

Se em Salvador Darwin teve que lidar com os foliões, no Rio o inimigo foi outro: a burocracia. Sim, o país já sofria com essa questão desde essa época. Para poder explorar o interior do estado, por exemplo, o britânico teve que esperar uma autorização que demorou um dia para ser concedida. 

Nunca é agradável submeter-se à insolência de homens de escritório. Mas aos brasileiros, que são tão desprezíveis mentalmente quanto são miseráveis as suas pessoas, é quase intolerável”, se queixou em seu caderno de anotações.

Durante todo o tempo que ficou na Cidade Maravilhosa, Darwin se hospedou em uma casa em Botafogo, bem próximo do Corcovado. Um de seus maiores prazeres era observar o pôr-do-sol enquanto descansava sozinho no jardim do local. Segundo o próprio, a beleza natural do Rio faria qualquer um “lamber o pó da sola dos pés de um brasileiro”.


5. Escravidão

Embora a natureza o tenha encantado, o Brasil deixou uma péssima impressão na expedição de Darwin. O principal fator para isso foi a escravidão. Criado em uma família antiescravagista, o britânico presenciou de perto os horrores sofridos pelos negros aqui no Brasil. Importante ressaltar que a Lei Áurea só foi assinada cerca de cinco décadas depois de sua passagem por aqui. 

Poucos dias após chegar ao Rio, foi convidado por um inglês para conhecer suas propriedades. Passando por uma fazenda na Lagoa de Maricá, que fica a 60 quilômetros da capital carioca, ele se deparou com um grupo de escravos que tentava fugir. 

Navio negreiro, quadro do pintor Rugendas / Crédito: Domínio público / Johann Moritz Rugendas

Caçados, os negros se viram encurralados quando foram cercados em um precipício. Segundo Darwin, uma velha mulher preferiu se jogar para a morte a ser capturada. 

Praticado por uma matrona romana, esse ato seria interpretado e difundido como amor à liberdade. Mas da parte de uma pobre negra, se limitaram a dizer que não passou de um gesto bruto", relatou. 

Cerca de uma semana depois, quando passava por Conceição de Macabu, viu um Capitão do Mato ameaçar separar 30 famílias ao vendê-las para diferentes donos. “Um ato atroz que só poderia acontecer em um país escravista”.


+Saiba mais sobre Charles Darwin por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

A origem das espécies: A origem das espécies por meio da seleção natural ou a preservação das raças favorecidas na luta pela vida, de Charles Darwin (2014) - https://amzn.to/2HBIbUd

A expressão das emoções no homem e nos animais, de Charles Darwin (2009) - https://amzn.to/2HC1Ljl

A origem das espécies, de Charles Darwin (2018) - https://amzn.to/3bK3BMG

Viagem de um naturalista ao redor do mundo, de Charles Darwin (2008) - https://amzn.to/2HFbHby

The Voyage of the Beagle: Charles Darwin's Journal of Researches (Edição Inglês), de Charles Darwin (1989) - https://amzn.to/3bNNayV

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W