Matérias » Estados Unidos

Elvis, the Pelvis: quando o cantor pisou nos calos da Igreja Católica e até mesmo do FBI

O cantor causou indignação mundial quando substituiu a guitarra por passos extravagantes

Thiago Lincolins Publicado em 14/01/2020, às 11h20

Elvis durante show em 1977
Elvis durante show em 1977 - Getty Images

Era 5 de junho de 1956 quando Elvis Presley fez uma aparição no Milton Berle Show. Nos bastidores, o apresentador do programa surgiu com uma ideia inusitada para o cantor: ele deveria largar a guitarra e balançar o quadril como nunca havia feito antes.

Entretanto, Presley não imaginava que o episódio se tornaria o primeiro grande escândalo de sua carreira, atraindo críticas negativas do FBI ou até mesmo da Igreja Católica.

Era a sua oitava aparição em rede nacional. Elvis estava preparado para fazer uma apresentação da música Hound Dog, o maior hit da cantora Big Mama Thornton. Não seria diferente do habitual: o astro cantaria a canção em passos lentos, e restritos com a guitarra - o grande elemento de sua identidade artística.

Ao aceitar a ideia de Milton, o cantor entrou no ar como nunca tinha sido visto. Os passos lentos e a guitarra foram substituídos por um gingado inusitado e até mesmo extravagante para a época. Naquele dia, com apenas 21 anos, Presley ganhou o título de astro do rock.

Todavia, a coroação não acabou em festa. De imediato, o artista foi apelidado de Elvis Pelvis. Inúmeras pessoas consideraram o episódio ofensivo e até mesmo desrespeitoso. Ele foi chamado de vulgar e exibicionista sexual sem talento”.  

Com o boicote, a mídia detonou o cantor.

"Sr. Presley não tem capacidade de canto discernível. Para o ouvido, ele é um grande indecifrável”, escreveu Jack Gould do New York Times.

“Sua especialidade é um movimento acentuado do corpo que até então foi identificado principalmente com o repertório feito por loiras das passarelas burlescas. O gyration nunca teve nada a ver com o mundo da música popular e ainda não tem nada.” Concluiu Gould.

“É o tipo de animalismo que deveria ser confinado a bordéis”, afirmou Ben Gross do New York Daily News.

“Um striptease com roupas, uma autossatisfação sexual no palco”, revelou os arquivos do FBI sobre o cantor.

Elvis não escapou nem do diário semanal da Igreja Católica, que divulgou um artigo intitulado “Cuidado com Elvis Presley”. O programa Milton Berle Show recebeu cartas lamentando a aparição. Além disso, uma apresentação agendada no The Tonight Show quase foi cancelada pela NBC.

Após uma petição assinada por 8 mil fãs, Presley apareceu no programa com um smoking e apresentou uma versão abreviada de Hound Dog, que após ser regravada vendeu 10 milhões de cópias e ocupa o 19° na lista das 500 maiores músicas de todos os tempos da Rolling Stone.

Confira a apresentação:


+Saiba mais sobre Elvis Presley através das obras abaixo

Elvis Presley. História, Discografia, Fotos e Documentos, Gillian G. Gaar, 2016 - https://amzn.to/39sIspm

Elvis - A biografia ilustrada, Marie Clayton, 2015 - https://amzn.to/37nsr1P

Elvis and Me, Priscilla Presley (Autor), Sandra Jarmon (Autor), Sandra Harmon (Autor), 1986 - https://amzn.to/2QABjuj

Elvis Presley. A Vida Na Musica, Ernst Jorgensen, 2010 - https://amzn.to/2QcTuHy

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.