Matérias » Bizarro

As extravagantes apresentações de strippers em funerais chineses

Tradição peculiar persiste no país em meio a inúmeras tentativas de proibições pelo governo

Isabela Barreiros Publicado em 05/01/2020, às 15h56

Imagem meramente ilustrativa de uma stripper fazendo pole dancing
Imagem meramente ilustrativa de uma stripper fazendo pole dancing - Getty Images

Em 2017, um funeral na cidade de Taiwan atraiu olhares por sua peculiaridade. Por volta de 50 dançarinas praticavam o pole dancing em uma cerimônia que honrava um político local. As piruetas em tetos de jipes, segundo sua família, faziam parte de um pedido feito pelo homem "por meio de um sonho", que solicitava um “funeral colorido”.

Por mais original que isso pareça ser, contratar dançarinas ou mesmo strippers para performar em enterros é uma prática comum na China — mesmo sofrendo represálias pelo governo do país, que chegou a chamá-la de “ação não civilizada”. 

"O governo da China se vê como uma figura paterna que precisa guiar seus cidadãos. Eles estão preocupados com a exibição pública de corpos nus e a influência que isso poderia ter na sociedade, especialmente porque as crianças muitas vezes veem esses espetáculos", explica o antropólogo Marc Moskowitz, da Universidade da Carolina do Sul, dos Estados Unidos à BBC. 

Quais seriam, então, os motivos para pessoas contratarem esse tipo de atividade para funerais? Existem algumas hipóteses. 

Crédito: Getty Images

 

Uma das teorias a respeito do surgimento dessa tradição chinesa é a possibilidade de uma família demonstrar riqueza. Ao expor strippers em suas grandes celebrações, os convidados ficariam impressionados com a capacidade de os familiares do falecido conseguirem pagar todo esse “show pirotécnico”.

De acordo com o jornal chinês Global Times, "as famílias das zonas rurais da China são mais propensas a mostrar que têm dinheiro gastando o equivalente a várias vezes sua renda anual contratando atores, cantores, comediantes e strippers para confortar os parentes em luto e entretê-los".

Outra possibilidade é que, exatamente por tornar-se um espetáculo, o sepultamento possa atrair um número maior de pessoas. Isso seria visto, assim, como uma “honra” ao morto, que estaria sendo prestigiado por um grande público.

Mas também há quem acredite que isso esteja relacionado ao "culto à reprodução". "Em algumas culturas locais, a dança com elementos eróticos pode ser usada para transmitir os desejos do falecido de ser abençoado com muitos filhos", explica o professor da Universidade Fujian, Huang Jianxing, ao Global Times. 

Crédito: Youtube/Marc L. Moskowitz

 

Ainda que a prática tenha se tornado uma tradição na China, as autoridades não compactuam com a sua difusão. O governo chinês criou uma linha telefônica destinada a denúncias relativas à apresentação de strippers em funerais para que os cidadãos ligassem quando vissem alguma “ação errada”. 

"O fato de continuar a ser realizada, apesar de perseguida pelas leis, demonstra o quão persistente ela é", conclui Moskowitz.


+ Saiba mais sobre a China por meio das obras a seguir:

A Extraordinária História da China, Pereira Couto (e-book) - https://amzn.to/35Tlmq8

Os melhores contos orientais: Contos tradicionais da Índia, da China e do Japão para ler, meditar e viver melhor, Antonio Daniel Abreu (2013) - https://amzn.to/2J71ohG

Mao: A história desconhecida, Jon Halliday e Jung Chang (e-book), Jon Halliday e Jung Chang (2012) - https://amzn.to/2oXZskY

China Antiga - Grandes Civilizações do Passado, Maurizio Scarpari (2006) - https://amzn.to/2ECMRYr

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.