Matérias » Brasil

Futuro da pecuária: Gado brasileiro será analisado em parceria com empresa chinesa

O novo projeto pretende usar modelos de Inteligência Artificial para modernizar a criação de gado

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 07/08/2021, às 09h00

Fotografia meramente ilustrativa de gado leiteiro
Fotografia meramente ilustrativa de gado leiteiro - Divulgação/ Pixabay / Alexas_Fotos

No município de Campo Grande, localizado no Mato Grosso do Sul, uma fazenda será a sede de um curioso e inovador experimento de monitoramento de rebanho. 

O projeto, que foi repercutido pelo UOL na última quarta-feira, 4, será conduzido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) em parceria com uma multinacional chinesa, a Huawei. 

Vale mencionar que a gigante asiática da área de tecnologia já havia demonstrado interesse em colaborar com a área de pecuária no Brasil em uma feira agrícola ocorrida no início do ano no Paraná. 

O objetivo da iniciativa recém-anunciada é aperfeiçoar as práticas pecuárias através do uso de algoritmos. O primeiro passo será a coleta de dados do dia a dia de 32 bois durante doze meses seguidos. 

Bois e tecnologia 

Para tanto, os animais da fazenda sul-mato-grossense, que pertence à Embrapa, irão usar um excêntrico equipamento acoplado à sua cabeça 24 horas.

Boi com equipamento preso à sua cabeça / Crédito: Divulgação/ Rodrigo Alva/ Arquivo Pessoal

 

Tratam-se de sensores que serão responsáveis por colher informações a respeito do ambiente, bem-estar e produtividade do gado, dados que posteriormente serão armazenados na nuvem. 

Esses sofisticados equipamentos são também chamados de Sensores de IoT, ou Internet das Coisas, e são especializados em detectar dados através de sensores ópticos e elétricos, de acordo com o site da Synnex, um blog de negócios de Tecnologia da Informação. 

Toda a infraestrutura tecnológica dessa etapa da pesquisa será fornecida pela Huawei: tanto o hardware, quanto o software virão da empresa chinesa. 

É a partir de então que especialistas da organização brasileira poderão surgir com soluções inteligentes para os problemas do cotidiano das fazendas do país, tornando a gestão mais eficiente, reduzindo o estresse do rebanho e elevando os lucros. 

Futuro da pecuária 

A longo prazo, as metas do projeto incluem uma maior automação desses aperfeiçoamentos. Um dos exemplos é o desenvolvimento de algoritmos de inteligência artificial. 

Dessa forma, as tecnologias de ponta da Era da Informação se integrarão também à rotina dos criadores de gado — como já fizeram com tantas outras profissões. 

De acordo com o analista Eduardo Speranza, que foi repercutido pelo UOL, as informações a respeito do rebanho poderiam chegar ao criador de gado através de um aplicativo em seu celular, permitindo que esses produtores tomassem “as melhores decisões, sob o ponto de vista econômico e ambiental". 

Fotografia meramente ilustrativa mostrando aplicativos / Crédito: Divulgação/ Pixabay / LoboStudioHamburg

 

"A pesquisa envolve três eixos: as variáveis fisiológicas do animal, o microclima e o ganho de peso. Os parâmetros de bem-estar animal e conforto térmico permitirão que o produtor rural perceba o nível de estresse do animal e a interferência disso em sua produtividade”, explicou Roberto Giolo, que é um dos pesquisadores envolvido no projeto, também conforme o UOL. 

Em relação às “variáveis fisiológicas”, por exemplo, o sensor será capaz de identificar a temperatura corporal, frequência cardíaca e respiratória de cada ruminante.