Matérias » Personagem

Ardi Rizal: O inacreditável caso do bebê fumante da Indonésia

Conhecido mundialmente após a viralização de seu vídeo fumando 40 cigarros por dia, o indonésio encontrou um final surpreendente

Paola Churchill Publicado em 12/03/2020, às 08h00

O antes e depois de Ardi Rizal
O antes e depois de Ardi Rizal - Divulgação/Youtube

Em 2007, com apenas dois anos de idade, Ardi Rizal viralizou na internet. O pequeno indonésio aparecia em um vídeo fumando sem parar. A criança chamou a atenção pelo seu vício em nicotina e no ponto mais crítico do seu hábito, chegou a fumar mais de 40 cigarros por dia.

Sua compulsão começou com o seu pai, que deu o primeiro trago para o garoto quando tinha apenas um ano de idade, não demorou muito para que ele se tornasse dependente do tabaco. Em entrevista, o jovem diz que não culpa ninguém por adquirir esse hábito, enquanto sua mãe afirmava que temia pela vida do filho e aceitava qualquer tipo de ajuda para que seu primogênito fosse curado.

Em pouco mais de quatro anos de dependência, estima-se que ele tenha consumido em torno de 47 mil cigarros. Após largar sua compulsão, Rizal trocou o tabaco pela comida, chegando a consumir três latas de leite condensado por dia. Quando fez cinco anos, seu peso aumentou de maneira drástica e chegou a marca de 24 kg.

O bebê chegava a fumar 40 cigarros por dia/ Créditos: reprodução de vídeo/RecordTV 

 

Sua obesidade atingiu um nível tão alarmante que seus parentes procuram tratamento psicológico, pois parecia que mais nada poderia ser feito e aquela seria a única saída. O tratamento feito para parar de fumar e emagrecer foi realizado aos poucos e os especialistas que cuidavam do caso construíram um laço com o menino para que o acompanhamento fosse mais fácil e leve para ambos os lados.

Segundo Ardi, ter parado vagarosamente com sua adição teve um resultado excelente e ajudou cortar de vez o mal. Hoje, livre da dependência, a equipe de médicos que cuidaram do caso ainda afirmam que o sistema respiratório de Rizal não foi afetado e não terão problemas em seu futuro.

Em 2019, uma equipe de reportagem da Record, quis descobrir como que estava vivendo um dos primeiros virais da internet. A produção foi até Sumatra, aonde Adil mora com sua família e se deparou com outra pessoa. Mais magro, o ex-fumante agora se apresenta de maneira muito mais saudável afirmando que a decisão foi a melhor coisa que fez em sua vida.

Ele ainda disse em entrevista que não se incomoda se fumarem ao seu lado ou com o cheiro da fumaça, diz que se lembra dos momentos que era viciado, mas que não o incomoda mais.

O que parecer ser um caso inusitado para muitos, na Indonésia 40% dos meninos entre 13 e 15 anos já têm o mesmo vício. E, se não isso não é impactante o bastante, o país é conhecido por ter uma legião de pequenos tabagistas.

Ardi Rizal hoje / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Mesmo com diversas campanhas do governo para que o consumo acabe, incluindo proibições em alguns lugares, junto com o trabalho de ativistas que lutam por uma melhoria da saúde pública, a pouca fiscalização das leis permitem que os mais jovens comprem cigarro sem nenhum problema. Isso acaba atraindo os grandes conglomerados do gênero para aumentar sua produção por lá. Fábricas têm como a Indonésia o seu segundo maior mercado consumidor, perdendo apenas para Quiribati.

Inclusive as indústrias que trabalham no segmento, fazem cigarrilhas com gosto de cravo, o sabor adocicado acaba atraindo a juventude a consumir mais o produto.

Em 2009, o governo para tentar conter a expansão do cigarro, começou a desenvolver mais em esportes e eventos nas escolas, além de fazer mudanças em seu sistema de saúde. Até hoje, essas medidas não fizeram efeito.


+Saiba mais sobre casos bizarros por meio de grandes obras:

O sol ainda brilha: A história real do homem que passou 30 anos no corredor da morte por crimes que não cometeu, de Anthony Ray Hinton (2019) - https://amzn.to/37JVInf

Collor presidente: trinta meses de turbulências, reformas, intrigas e corrupção, de  Marco Antonio Villa (2016) - https://amzn.to/2PaqNcw

O pêndulo da democracia, de Leonardo Avritzer (2019) - https://amzn.to/2rVt7fo

Suzane assassina e manipuladora, de Ullisses Campbell (2020) - https://amzn.to/3aFqnVk

O pior dos crimes, de Rogério Pagnan (2018) - https://amzn.to/2S287OY

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.