Matérias » Cultura

'Império do vampiro' se destaca pela reverência às histórias como Drácula e The Whitcher

O site Aventuras na História conversou com Jay Kristoff, autor da obra

Redação Publicado em 27/02/2022, às 09h00

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Pixaline, via Pixabay

Primeiro volume de uma série aguardada e escrita por Jay Kristoff, 'Império do Vampiro' é uma fantasia dark que impressiona os leitores que amam o gênero literário. Com ilustrações de Bom Orthwick, a obra foi lançada no Brasil através da VR Editora, um selo da Plataforma 21.

A obra fictícia apresenta Gabriel de Léon, protagonista metade humano e metade monstro, que é o último membro do Santo de Prata, sagrada irmandade dedicada a defender o reino dos vampiros.

[Colocar ALT]
A capa da obra /Crédito: Divulgação

No enredo, se passaram 27 longos anos desde o último nascer do sol. Por quase três décadas, os vampiros travaram uma guerra contra a humanidade. Aprisionado pelos monstros que jurou destruir, Gabriel é forçado a contar a própria história: cheia de batalhas lendárias, amor proibido, fé perdida, amizades conquistadas e da busca pela última esperança remanescente da humanidade: o Santo Graal.

Com o rico lançamento, o site Aventuras na História entrevistou Jay Kristoff. Confira a entrevista completa abaixo!

AH - Por que você decidiu escrever sobre vampiros? Quais foram suas maiores inspirações?

Jay Kristoff - Eu amo histórias sobre monstros desde criança! Eu sabia que era fã de vampiros quando vi 'Garotos Perdidos' quando adolescente e me vi torcendo pelos bandidos.

Em termos de inspiração para Empire, minhas maiores foram 'Entrevista com o Vampiro', de Anne Rice, e 'Salem's Lot', de Stephen King. Eles ainda são alguns dos meus livros favoritos de todos os tempos.


AH - Qual é a sua história com narrativas sobrenaturais? Como você começou a ler e consumir esse tipo de enredo?

Jay Kristoff - Comecei a ler fantasia aos 8 anos, com 'O Hobbit'. Ainda me lembro como foi abrir aquela primeira página e ver o mapa da Terra Média, sentir-me transportado para um mundo diferente. Eu quero dar esse sentimento aos meus leitores também.


AH - Temos muitos livros com histórias sobrenaturais, como Drácula, Game of Thrones e The Witcher. Quais são as diferenças entre essas narrativas que já conhecemos e seu novo livro?

Jay Kristoff - Não tenho certeza de que seja tão diferente. Em vez disso, EMPIRE é como a melhor de todas aquelas histórias de fantasia que você ama reunidas em uma. Mundo escuro. Heróis sombrios. Monstros terríveis. Traição. Desgosto. Mas uma pequena lasca de esperança e amor no mar de escuridão.


AH - Podemos esperar algum tipo de clichê sobre vampiros em seu livro? Eles são mais como criaturas inconscientes e cruéis, ou têm um desejo compreensível de manter sua corrida em andamento, como em Van Helsing, por exemplo?

Jay Kristoff, autor da obra /Crédito: Divulgação

Jay Kristoff - Eu queria fazer meus vampiros se sentirem da velha escola. Medieval. Mas, mais, eu queria torná-los assustadores – monstros que olham para as pessoas como você olha para o bife que você está prestes a comer no jantar. O tempo é um grande tema em EMPIRE – o fato de que nada é permanente, que nos come vivos. E uma das coisas que ele come em meus imortais é sua moralidade.


AH - Há também vampiros romantizados, como os personagens de Crepúsculo. Como você vê essa versão?

Jay Kristoff - É interessante escrever vampiros, porque todo mundo traz sua própria opinião sobre eles. Eu amo que diferentes escritores ao longo dos anos trouxeram diferentes perspectivas sobre essas criaturas, e histórias como Crepúsculo foram muito bem sucedidas por boas razões.

Mas para mim, vampiros sempre foram e sempre serão monstros. Um mal que deve ser combatido. Uma embriaguez que deve ser superada. Portanto, não venha para este livro esperando os Diários do Vampiro. Eu AMO alguns TVD, não me interpretem mal. Equipe Damon para a vida. Mas isso não é isso.


AH - Qual foi a maior dificuldade para escrever “Empire of The Vampire”? Foi difícil escapar dessas grandes narrativas e tipos de livros que já conhecemos e que estão aqui há anos?

Jay Kristoff - A maior dificuldade era o mundo ao meu redor. Eu estava escrevendo o livro durante o surto de COVID e o bloqueio, então o mundo ao meu redor parecia um lugar muito sombrio, e o mundo que eu estava escrevendo também era sombrio. Mas acho que isso acabou ajudando o livro e a história – eu estava construindo um lugar escuro, mas entendi a importância da luz, mesmo naquela escuridão.


AH - Quem é Gabriel de León? O personagem foi inspirado por alguém que você conhece?

Jay Kristoff - Ah, Gabi. Pobre bastardo.

Gabriel é um mestiço, nascido de pai vampiro e mãe mortal – o que é chamado de Paleblood neste mundo. Ele foi introduzido em uma seita monástica conhecida como Ordem de Prata em uma idade jovem e treinado para caçar os monstros da noite. Ele se tornou uma espécie de figura lendária em seu tempo, mas sendo um dos meus protagonistas, ele tinha alguns . . . problemas.

O livro tem no centro três linhas do tempo - o jovem Gabe, cheio de fogo e fé, e o Gabe mais velho, que se tornou um homem amargo e infiel - e uma exploração de como um homem se tornou o outro por uma versão ainda mais velha de Gabe, esperando em uma cela de prisão para sua execução.

Acho que Gabe ganha o prêmio por “Personagem de Jay Kristoff que foi colocado no inferno por seu autor”.


AH - Como você se sente sabendo que mais um de seus livros está sendo traduzido para o português? Você sabia que os leitores brasileiros gostavam tanto de narrativas sobrenaturais?

Jay Kristoff - É incrível! Espero um dia chegar ao Brasil para conhecer todos os meus leitores maravilhosos! O apoio para NEVERNIGHT no Brasil tem sido excelente, e espero que todos vocês amem essa nova série da mesma forma!


AH - Quais são seus próximos passos? Há um novo livro vindo que você pode nos contar?

Jay Kristoff - No momento, estou trabalhando duro na parte 2 do EMPIRE. Há um monte de desenvolvimentos emocionantes acontecendo nos bastidores também (sobre os quais ainda não posso falar), mas espero que em breve!

Obrigado por me receber, um salve para meus leitores brasileiros, espero que todos amem o EMPIRE!