Matérias » Civilizações

A impressionante Múmia de Juanita: uma das maiores descobertas do século 20

O corpo congelado de uma adolescente inca estava tão bem preservado que ajudou cientistas a provarem relevantes teorias sobre as civilizações antigas

André Nogueira Publicado em 21/01/2020, às 07h00 - Atualizado às 07h42

Múmia Juanita em exposição
Múmia Juanita em exposição - Divulgação/Facebook

Para além do Egito, muitas civilizações antigas deixaram corpos mumificados encontrados por cientistas e arqueólogos ao longo do século 20. Um dos principais desses conjuntos humanos foram os povos andinos, principalmente os incas, que possuem famosas múmias hoje conhecidas.

Uma importante descoberta ocorreu no Peru, em 1995, quando o antropólogo da National Geographic revelou um corpo congelado no Monte Ampato, no sul do país: Juanita.

Trata-se de uma garota inca de cerca de 550 anos, ainda adolescente, encontrada em parceria com um escalador peruano chamado Miguel Zárate, e que hoje é patrimônio do Museo Santuarios Andinos, da Universidade de Santa María, Peru.

Também conhecida como A Senhora de Ampato, essa múmia é um dos corpos mais bem conservados já encontrados pela arqueologia, devido ao congelamento de sua carne pelo frio da cordilheira. Pelo mesmo motivo, as roupas e acessórios da menina se mantiveram quase intactos, tal qual seus tecidos e até o conteúdo de seu estômago.

A múmia como foi encontrada / Crédito: Wikimedia Commons

 

Por isso, essa importante descoberta tornou-se uma relevante fonte para o estudo da sociedade indígena nos Andes Centrais, nos momentos finais do auge incaico (no caso, ela morreu durante o reinado do Sapa Inca Pachacuti, que governou até 1472).

O bem preservado conteúdo biológico da múmia Juanita possibilitou uma série de análises genéticas feitas por cientistas de diversos pontos do mundo, tornando-a um substancial documento para a comprovação de teorias sobre a ocupação da América do Sul.

Segundo leituras de DNA e RNA, a múmia possui traços genealógicos não só com a comunidade andina, mas também com grupos panamenhos e de Taiwan e Coreia, dando peso às teorias mais recentes que afirmam que os paleoíndios têm origem nas migrações por balsa no Pacífico.

Com traumatismo craniano e deslocamento de diversos órgãos da região da cabeça, concluiu-se por radiografia que Juanita morreu após sofrer um impacto que causou hemorragias e, consequentemente, o óbito.

Monte Ampato, Peru / Crédito: Wikimedia Commons

 

Fora então enterrada embrulhada numa tapeçaria (aksu, em quéchua), com adornos feitos em pena de arara na cabeça e um xale de alpaca. Sua indumentária, de alta qualidade, indica que ela era fazia parte da elite incaica de Cuzco.

Entre os objetos funerários com ela sepultados, foram encontrados alfinetes e tigelas, além das clássicas estatuetas representativas em ouro, prata e conchas marinhas. Esse patrimônio reforça as ricas origens da garota e representam um estado de saúde positivo.


+ Saiba mais sobre as civilizações andinas através das obras abaixo
 
Sacrifice, Violence, and Ideology Among the Moche: The Rise of Social Complexity in Ancient Peru (The William & Bettye Nowlin Series in Art, History, and ... of the Western Hemisphere) (Edição em inglês), Steve Bourget, 2016 - https://amzn.to/2rJ0Hp5
 
Breve História dos Incas,  Patricia Temoche Cortez, https://amzn.to/2KkB7wV
 
A civilização Inca, Henri Favre, 1987 - https://amzn.to/2NNGR4F
 
Breve História dos Incas, Patricia Temoche Cortez, 2016 - https://amzn.to/33KHzox
 
Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.