Matérias » Personagem

Lynette Fromme, a seguidora de Charles Manson que tentou matar o presidente dos EUA

Lynette foi uma integrante fiel da Família Manson, e mesmo depois da prisão do lunático, ainda seguiu seus "princípios"

Ingredi Brunato Publicado em 31/10/2020, às 10h00 - Atualizado às 21h00

Fotografia de Lynette Fromme
Fotografia de Lynette Fromme - Divulgação

Não se sabe muito sobre o início da vida de Lynette Fromme, também conhecida pelo apelido de “Squeaky”. Existe apenas um breve histórico que pode ser usado para entender o passado da mulher que futuramente seria parte da perturbadora Família Manson, e ainda seria autora de uma tentativa de assassinato contra o presidente dos Estados Unidos da época, Gerald Ford

Aos quinze anos, a jovem teria começado a consumir álcool e drogas. Fromme também chegou a começar um curso superior, que foi interrompido precocemente, após dois anos, por conta de uma briga com o seu pai. O conflito teria sido tão grande, na verdade, que a garota saiu de casa definitivamente. 

Foi nesse momento de vulnerabilidade, longe de sua família e ainda por cima sofrendo de depressão, que Fromme conheceu o lunático Charles Manson. Na época, ele havia acabado de sair da prisão, após ter cumprido dez anos de pena, por conta de um furto. 

A jovem ficou encantada pelos pensamentos e filosofias do homem mais velho, e passou a viajar com ele pelo país, acompanhada por outras duas moças, Susan Atkins e Mary Brunner. Era o início do grupo que se intitularia posteriormente como Família Manson. 

Fotografia de Lynette quando ela estava no ensino médio - Crédito: Wikimedia Commons

 

Família Manson 

O rancho onde Charles Manson e seus seguidores de decidiram se instalar, na Califórnia, não era realmente deles. Na verdade, era justamente função de Lynette ter relações sexuais com o proprietário do terreno, um senhor de 78 anos, para que a Família Manson pudesse usar o terreno. 

Então, ocorreu o terrível crime pelo qual a seita liderada por Manson ficou conhecida: o assassinato brutal de seis pessoas no decorrer de dois dias seguidos, sem que houvesse motivo aparente - o que fez a ação ser interpretada como parte de um “ritual” para os envolvidos. Entre as vítimas, estava Sharon Tate, uma atriz de Hollywood que estava grávida de nove meses. 

Durante as investigações, Fromme, embora não estivesse envolvida com os assassinatos em si, recebeu algumas condenações menores devido a atos recorrentes de obstrução da justiça. Isso porque a jovem não apenas se recusou a depor a respeito do caso, como também fez seu melhor para impedir os outros membros de colaborarem com os investigadores. 

Uma tentativa de assassinato 

Durante cerca de seis anos, a seguidora de Manson viveu de forma discreta, e embora a antiga seita do qual fizera parte tivesse sido desmantelada com os crimes brutais, Lynette ainda era fiel aos princípios de seu antigo líder. 

Assim, ela e Sandra Collins Good, outra ex-integrante, passaram a morar juntas, com nomes novos, e vestidas sempre com robes, lembrando freiras - o que deveria ser interpretado como símbolo de sua devoção à "religião Manson". 

Foi nesse período de sua vida que Fromme cometeu o crime que renderia prisão perpétua. Ela se misturou a uma multidão que se reuniu para cumprimentar o então presidente dos EUA, Gerald Ford, levando uma arma carregada. 

Todavia, para a sorte do presidente, Lynette não conseguiu chegar a dar o tiro: os agentes a impediram a tempo, tirando o revólver de suas mãos e imobilizando-a. 

Prisão 

Durante seu julgamento, Fromme se recusou a colaborar até mesmo com aqueles que estavam encarregados de sua defesa, o que certamente influenciou na escolha de sua pena, que foi perpétua. 

Um bom exemplo do tipo de atitude que a moça manteve no tribunal foi o momento em que um dos promotores disse que ela deveria receber uma punição severa, por ser “cheia de ódio e violência”. Lynette atirou uma maçã no rosto do homem, quebrando seus óculos. 

A seguidora de Manson passou 34 anos na prisão, recusando todas as oportunidades de mudar para um regime semiaberto, ao jamais comparecer às audiências. Após 30 anos cumpridos de pena, todavia, os presos nos Estados Unidos ganham direito automático a uma reavaliação de sua pena, mesmo que eles não peçam por uma, o que resultou na liberação de Fromme por bom comportamento no ano de 2009. 

Dias atuais 

Trecho de entrevista de Lynette à ABC News em 2018 - Crédito: Divulgação/ Youtube/ ABC News 

 

Atualmente, Lynette tem 72 anos de idade e mora na cidade de Nova York. Em 2018, ela deu uma entrevista ao canal ABC News, atualmente disponível no Youtube, em que dizia que ainda amava Manson.


+Saiba mais sobre crimes por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Serial Killers - Anatomia do Mal: Entre na mente dos psicopatas, de Harold Schrechter (2019) - https://amzn.to/39YVlGK

De frente com o serial killer, de Mark Olshaker e John E. Douglas (2019) - https://amzn.to/2UX47R4

Lady Killers: As mulheres mais letais da história, de Tori Telfer (2019) - https://amzn.to/3c7BoPb

Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers, de John Douglas e Olshaker Mark (2017) - https://amzn.to/2xccb7L

Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado, de Ann Rule (2019) - https://amzn.to/3cauuc9

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W