Matérias » Personagem

Na cama com 355 mil homens: as gêmeas prostitutas Louise e Martine Fokkens

Apresentadas ao Distrito da Luz Vermelha de Amsterdã aos 20 anos, as irmãs só pensaram em aposentadoria quando a artrite entrou em seu caminho

Pamela Malva Publicado em 03/06/2020, às 20h00 - Atualizado às 20h12

As gêmeas Louise e Martine Fokkens
As gêmeas Louise e Martine Fokkens - Divulgação

Com quase 300 janelas, o Distrito da Luz Vermelha, em Amsterdã, é um dos pontos de referência na história da prostituição holandesa. Também conhecido como De Wallen, é o epicentro de bordéis e motéis na capital.

Foi entre as ruas iluminadas por lâmpadas neon que as irmãs gêmeas Louise e Martine Fokkens começaram a traçar sua trajetória como prostitutas. Experientes no ramo, ambas mantiveram os negócios à todo vapor durante a velhice.

Com mais de 70 anos cada, Louise e Martine têm orgulho de sua profissão e falam dela com naturalidade, respondendo eventuais perguntas com um sorriso no rosto. Juntas, as duas já fizeram sexo com mais de 355 mil homens.

As gêmeas Fokkens, sempre combinando / Crédito: Divulgação

 

Bem-vindas às janelas

Louise foi a primeira das duas irmãs a ser apresentada aos bordéis. Casada aos 17 anos, ela foi guiada pelo próprio esposo até o Distrito da Luz Vermelha. Com três filhos em casa, eles precisavam de dinheiro e o homem imaginou que aquela era a saída.

Seduzida pela ideia de ganhar seu próprio dinheiro e pela ideia de que ficaria no De Wallen por apenas dois anos, Louise, de 20 anos, aceitou a proposta do marido. Ao final de cada dia, no entanto, a jovem sequer via a cor do dinheiro que ganhara.

Em pouco tempo, ela conseguiu fugir do relacionamento abusivo — seu esposo era bastante violento —, mas se manteve nos bordéis. Foi, então, a vez de Martine. Também casada, ela e o marido passavam por um momento difícil da relação.

Com ambos desempregados, o casal precisava de uma fonte de renda urgente. A fim de ajudar a irmã, Louise sugeriu que Martine trabalhasse no mesmo bordel que ela, mas como faxineira. Sem outras opções, a ideia foi acatada pelo casal.

Imagem meramente ilustrativa de Distrito da Luz Vermelha em Amsterdã / Crédito: Wikimedia Commons

 

Visão duplicada

Com as gêmeas Fokkens trabalhando no mesmo estabelecimento, alguns clientes começaram a confundí-las. Em pouco tempo, descobriu-se que Louise e Martine eram duas mulheres diferentes e um novo mercado surgiu para elas: o sexo a três.

Homens que frequentavam o bordel ficavam simplesmente apaixonados pelas duas irmãs. Muitos se tornaram clientes fiéis e diversos pedidos de casamento foram feitos. Todos negados pelas jovens, que eram tão requisitadas.

Além dos ménages, as Fokkens também estavam acostumadas a fazer tudo que seus fregueses requisitassem. Ao longo dos anos, elas prestaram seus serviços para padres e homens casados e espancamentos eram apenas um dos muitos fetiches que Louise e Martine tiveram de performar.

Em situações menos comuns, as irmãs eram contratadas por pais de jovens que deveriam perder a virgindade. Como se não fosse o suficiente, as sessões eram, por vezes, acompanhadas pelos progenitores do rapaz.

Como um meteoro

O sucesso estrondoso das gêmeas Fokkens permitiram que, nos anos 1980, as duas se tornassem empreendedoras. Ainda no Distrito da Luz Vermelha, Louise e Martine  construíram seu próprio bordel, em Koestraat.

Durante um bom tempo, as duas aproveitaram das regalias que o dinheiro poderia trazer. Problemas com o governo e com outros administradores de bordéis, contudo, fizeram com que as Fokkens fechassem as portas.

De volta às janelas, as irmãs fundaram o The Little Red, o primeiro sindicato independente de prostitutas. Os negócios, então, continuaram por anos. As duas envelheceram, Louise casou-se de novo e a vida seguiu.

Martine com suas icônicas roupas vermelhas e botas altas / Crédito: Divulgação

 

Senhoras sem tabus

Já na casa dos 70 anos, as Fokkens cogitaram parar de trabalhar — muito porque a artrite já não permitia mais algumas posições —, mas elas não poderiam deixar seus clientes fiéis ao léu. Mesmo idosas, continuaram no ramo da prostituição.

Com roupas sempre combinando, Louise e Martine sentem falta dos anos dourados da prostituição em Amsterdã e culpam a legalização de bordéis em 2000 pela marginalização das profissionais do sexo. Muito famosas na área, elas ergueram uma pequena loja, onde vendiam postais, quadros e livros autorais.

Além do comércio próprio, as duas ainda serviam de guias turísticas para a Red Light District Tours, que promovia visitas turísticas ao Distrito da Luz Vermelha. Mas não pense que as gêmeas gostariam que suas filhas seguissem a mesma profissão: “quebaríamos as pernas delas”, dizem, com humor.


+Saiba mais sobre sexualidade através dos livros abaixo, disponíveis na Amazon:

Prazeres e pecados do sexo na história do Brasil, Paulo Sérgio do Carmo (2019) (eBook) - https://amzn.to/2Z3s0qD

O Livro do Amor, Regina Navarro Lins (2012) - https://amzn.to/38QZj4D

Momentos Na História Da Sexualidade, Jan Bremmer (2009) - https://amzn.to/2rKlEjT

História da sexualidade, Michel Foucault (2014) - https://amzn.to/34Bkbd6

Schiele, Egon Schiele (2006) - https://amzn.to/3ahhfWZ

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W