Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Chico Xavier

O dia que Chico Xavier viu espírito em turbulência de avião: "Morra com educação"

O diálogo desesperador entre Chico Xavier e o suposto espírito foi relatada durante entrevista ao 'Pinga-Fogo'

Wallacy Ferrari Publicado em 05/07/2022, às 14h55

Chico Xavier durante entrevista - Divulgação / TV Tupi
Chico Xavier durante entrevista - Divulgação / TV Tupi

Em 1971, o programa 'Pinga-Fogo', transmitido pela Rede Tupi, angariou atenção do Brasil ao transmitir em rede nacional os relatos de Chico Xavier em um auditório lotado, contando inclusive com psicografias ao vivo.

O platô foi usado como plataforma para amplificar os preceitos propagados pelo médium, que teve a oportunidade de abordar temas variados, desde educação e família, até polêmicas da época, como o divórcio e a homossexualidade.

Com o auxílio do apresentador Almyr Guimarães, a atração foi um sucesso de audiência, chegando a ter seu horário estendido devido à recepção pública.

Em um destes episódios, no entanto, Chico revelou uma situação onde encarou a morte e, inclusive, debateu sobre a relação da espiritualidade com tal projeção, conforme revelou o livro "Pinga-Fogo com Chico Xavier", que transcreveu as falas do religioso no programa.

Aventura perigosa

Em ocasião do programa, Almyr indaga Chico sobre uma situação, inicialmente cujo relato foi atribuído a um telespectador, onde ele teria entrado em pânico dentro de um avião cujos motores teriam entrado em pane.

O médium confirma e acrescenta que a viagem realmente ocorreu em 1959, entre Uberaba e Belo Horizonte, dois municípios em Minas Gerais, e começou a sofrer para se manter estável, mesmo que o pânico tomasse conta de todos os passageiros.

Chico Xavier no 'Pinga-Fogo' / Crédito: Divulgação / TV Tupi

Muita gente começou a vomitar e a gritar, apertar o cinto, aqueles amigos começaram a orar, senhoras começaram a fazer o terço. Eu, com muito respeito, mas quando vi aquela atmosfera, eu comecei a gritar também. Eu falei assim: ‘Bem, todo mundo está gritando, eu também vou gritar porque isto é a hora da morte’”, brincou.

Em meio ao caos, um dos passageiros notou que Chico estava no local, identificando ele como um médium e espírita em voz alta, se unindo por uma oração. Foi durante tal momento que o médium presenciou o espírito de um rapaz identificado como Emmanuel.

Conversa espiritual

No programa, Chico relatou que ninguém notou a presença do rapaz em meio aos passageiros, acrescentando que o espírito o questionou sobre o motivo de estar gritando. Xavier replicou explicando que o perigo de vida era eminente. O espírito questionou a indagar o motivo do chamado e o porque temia o perigo de vida, com o médium reconhecendo o medo e insistindo nos gritos.

Então, ele me disse: ‘Você não acha melhor calar, parar com isso? Dar testemunho da sua fé, da sua confiança na imortalidade?’. Eu disse: ‘Mas é a morte e nós estamos apavorados diante da morte’. Ele falou assim: ‘Está bem, então você acha que vai morrer’. Eu falei: ‘O senhor não acha que estamos em perigo de vida?’. Ele disse: ‘Estão’. Eu disse: ‘Está bem, eu estou com muito medo, estou apavorado como todo mundo, eu estou partilhando, eu também sou uma pessoa humana, eu estou com medo também dessa hora e de morrer nesse desastre’", explicou.

A resposta do temor surgiu de maneira confrontadora; Emmanuel teria respondido o seguinte: "Está bem, então morra com educação, cala a boca e morra com educação para não afligir a cabeça dos outros com os seus gritos; morra com fé em Deus!". Chico acrescentou, com bom humor, como respondeu: "Eu queria só saber como é que a gente pode morrer com educação!".