Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Bob Paisley

O piloto da 2ª Guerra que se tornou um dos maiores técnicos do futebol

De jogador, fisioterapeuta e até mesmo pedreiro, Bob Paisley superou nomes como Pep Guardiola e Alex Ferguson na Terra da Rainha

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 27/11/2023, às 20h00 - Atualizado em 11/01/2024, às 11h53

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Foto de Bob Paisley - LiverpoolFC.com
Foto de Bob Paisley - LiverpoolFC.com

Pep Guardiola, Alex Ferguson, José Mourinho e Arsène Wenger… Quatro dos técnicos mais emblemáticos da história do futebol foram responsáveis por fazerem revoluções em seus respectivos clubes ingleses (Manchester City, Manchester United, Chelsea e Arsenal). 

Quando o espanhol chegou ao lado azul-celeste de Manchester, em 2016, por exemplo, o clube era somente um novo milionário inglês que buscava um espaço de protagonista na Premier League há quase uma década. De lá para cá foram cinco títulos ingleses (o City tinha apenas quatro até então) e a maior conquista do continente: a Champions League na temporada 2022/23.

Do outro lado da cidade, os Red Devils alcançaram o topo global com o trabalho de 27 anos (1968 até 2013) desenvolvido pelo escocês que ganhou título de Sir. Ferguson é treinador mais vitorioso da história do futebol mundial com 50 títulos; e considerado pela France Football como o 2º lugar na lista dos '50 maiores treinadores de futebol de todos os tempos'. 

Pep Guardiola, Alex Ferguson, José Mourinho e Arsène Wenger/Crédito: Getty Images

Já o The Special One chegou os Blues londrinos em 2004, um ano após o singelo clube ser comprado pelo magnata russo Roman Abramovich. O português levou o time ao tricampeonato inglês e alçou o Chelsea ao grupo do Big Six — os seis maiores clubes do país. 

Por fim, mas não menos importante, Wenger fez dos Gunners uma grande máquina. O clube que se orgulhava por triunfar com um futebol feio se tornou imbatível. Com uma transição de bola rápida e um contra-ataque mortal, o lado vermelho de Londres se tornou o segundo e último clube inglês a conquistar uma liga nacional de forma invicta, na temporada 2003/04; até então, apenas o Preston North End (1888/89) havia alcançado o feito. 

Quatro trabalhos distintos, quatro histórias vitoriosas. Nomes que ficaram marcados para sempre no panteão do esporte. Ainda assim, ao menos na Terra da Rainha, nenhum deles foi capaz de superar um pedreiro/piloto de tanque da Segunda Guerra Mundial

+ Bayern de Munique foi obrigado a usar suástica em escudo

Atleta na Guerra

Ao longo das décadas de 1970 e 1980, o treinador Bob Paisley se tornou conhecido por suas conquistas e seu jeito se vestir: sempre com camisas listradas e gravatas no estilo jazz. Tudo isso coberto com uma capa de chuva bege que o fazia parecer um tenente. 

Uma figura respeitada que chegou ao Liverpool em 1939 para atuar como zagueiro, mas ainda se tornou fisioterapeuta autodidata do time nos anos seguinte. Todas as versões de Paisley fazem dele figura unânime dentro de Anfield — onde fica a sede do clube. 

Paisley (linha de trás, quarto da direita) pelo Liverpool em março de 1947/ Crédito: LiverpoolFC.com

Nascido em 23 de janeiro de 1919, Bob foi o segundo entre os quatro filhos de Sam (um minerador) e Emily (uma dona de casa). Sua infância inteira se passou na vila carvoeira de Hetton-le-Hole, onde o pai lutava pelo sustento da família. Conforme o próprio descreve em sua biografia em seu site oficial: o condado era "uma comunidade unida onde o carvão era rei e o futebol era a religião".

Se destacando com a bola nos pés desde a Escola Primária, Paisley ajudou seus colegas de classe a conquistarem 17 troféus em apenas quatro anos. Aos 14, porém, abandonou o esporte para trabalhar ao lado de seu pai em uma mina. O pai de Bob chegou a sofrer um grave acidente subterrâneo que o deixou inapto durante cinco anos. 

Com o fechamento da mina, Paisley estudou para se tornar pedreiro. Ainda na infância, o garoto tinha o sonho de jogar no seu time do coração, o Sunderland, mas a equipe o achou "pequeno demais" e decidiu não contratá-lo para a temporada 1937/38

Após duas temporadas atuando pelo time amador de Bishop Auckland, Bob Paisley acabou assinando com o Liverpool em maio de 1939. Meses depois, porém, quando a Segunda Guerra estourou, em outubro, ele foi convocado para o Exército e designado para a Artilharia Real no 73º Regimento Médio. Segundo o site oficial do Liverpool, sua estreia oficial só ocorreu em 1946 devido ao serviço militar. 

No regimento de artilharia de médio alcance, Paisley serviu no Reino Unido até agosto de 1941, passando por campos de toda Grã-Bretanha, como Rhyl e em Tarporley; que ficava a cerca de 50 quilômetros de Anfield. 

Historiador do Liverpool, Stan Liversedge revelou que, certa vez, Bob recebeu autorização do Exército para jogar por seu clube contra o rival Everton na final da Liverpool Senior Cup, em 1940 — quando eles perderam para o The Toffees por 4x2. Embora o jogo fosse sem relevância alguma, Paisley recorda que "cerca de 30.000 pessoas compareceram" no estádio. 

Por suas habilidades futebolísticas, Bob Paisley ainda deixou de ser enviado para um posto no Extremo Oriente, segundo John Keith explica em 'Bob Paisley: Manager of the Millennium'. Inevitavelmente, caso isso acontecesse, seu destino seria se tornar um prisioneiro de guerra dos japoneses, visto que o regimento foi dominado pelos nipônicos.

No final de agosto de 1941, Bob foi convocado para atuar com tropas no exterior e só voltou à Inglaterra em 1945. Durante dez semanas ele fez parte de um batalhão que realizou uma expedição ao Egito. 

Enquanto trabalhou no sul do Cairo, Paisley aprendeu a dirigir tanques Cw15 e ainda recebeu treinamento sobre como disparar armas antitanques — habilidade necessária como membro do Oitavo Exército na Operação Cruzado. 

Em meados de 1943, chegou a ficar cego temporariamente por conta da areia que se espalhou em seu rosto após um ataque de aeronaves da Luftwaffe contra sua unidade, explica Keith

Bob Paisley pelo Liverpool / Crédito: LiverpoolFC.com

No fim daquele ano, Bob Paisley ainda foi enviado com seu regimento para campanhas na Sicília e em outras regiões da Itália. Em junho de 1944, participou da Libertação de Roma, quando entrou na cidade em um tanque de guerra. O evento foi relembrado 33 anos depois, quando ele venceu a final da Copa da Europa de 1977, que havia sido disputada no Stadio Olimpico.

Novo começo

Após o fim do conflito, Paisley ainda trabalhou no Arsenal Real, em Woolwich, por três anos — ele só tinha permissão para retornar ao Liverpool nos finais de semana, recorda o site oficial do clube. Mesmo assim, ele ainda fez 33 jogos com o elenco que conquistou o quinto título da liga pelos Reds em 1946/47 — a primeira temporada completa pós-Guerra. 

Nos seus anos seguintes, o Liverpool amargou o meio de tabela do campeonato inglês e acabou rebaixado em 1954. Antes disso, em 1950, ainda teve a oportunidade de se sagrar campeão da FA Cup, mas o time perdeu a final para o Arsenal por 2x0. 

O teto do meu mundo desmoronou", diria ele ao Liverpool Echo muitos anos depois. 

O fim de sua carreira aconteceu em 1954/55, quando Bob foi deixado de fora do elenco contratado para aquele ano. Ao todo, Bob Paisley fez 277 jogos pelos Reds e marcou 13 gols, mas sua história em Anfield não terminaria ali. 

Embora tenha sido considerado um dos maiores laterais do país, jamais foi chamado para defender sua seleção. Aos 35 anos, ele ainda tinha uma série decisão a tomar sobre seu futuro. 

Reza a lenda de que ele pensou em voltar para o Nordeste do país e retomar seu trabalho como pedreiro. De certa forma ele retomou a profissão, mas ainda dentro do clube. Bob não só construiu novos abrigos em Anfield como também instalou banheiros em uma das arquibancadas do estádio e ainda criou novos placares. 

Após a aposentadoria, Paisley também passou a fazer parte da comissão técnica como fisioterapeuta autodidata. Àquela altura, recorda o site do Liverpool, ele já havia feito um curso por correspondência que também incluía a função de massagista. Bob também recebeu permissão para visitar hospitais de Liverpool e fazer uma espécie de residência médica. 

Paisley trata de um lesionado durante a vitória do Liverpool sobre o Manchester United em Anfield, em abril de 1964/ Crédito: LiverpoolFC.com

Mais tarde, ele ainda se tornou técnico do time reserva dos Reds. Em 1959, outra lenda do clube, Bill Shankly assumiu a função de técnico do elenco principal. "Desde o momento em que ele chegou, nos demos muito bem", afirmou. Shankly manteve a comissão técnica do Liverpool e criou um trabalho de cooperação entre os profissionais. 

Durante seus 15 anos de gestão, Bill Shankly conquistou três títulos da primeira divisão inglesa; um da segunda; duas Copas da Inglaterra; três FA Charity Shield; e um título europeu da Copa UEFA. 

Surge uma lenda

Após Shankly fazer o anúncio inesperado de deixar o comando da equipe, depois do título da Copa da Inglaterra de 1973/74; Paisley assumiu como seu substituto. Embora, inicialmente, relutasse em tomar conta da função. 

Nove anos depois, Bob Paisley se aposentou como o treinador mais vitorioso da história do futebol inglês: seis títulos da Liga; 10 títulos de Copa nacionais (entre FA Cup e Charity Shield); três Copas Europeias (atual Champions League); uma UEFA Cup (atual Liga Europa) e uma Super Copa da UEFA. 

Paisley, conquistou mais de 20 títulos em seus tempos de técnico; sendo até hoje o treinador de maior sucesso na história do Liverpool e o técnico de um time inglês mais vitorioso de todos os tempos

Paisley em homenagem feita pela torcida do Liverpool/ Crédito: LiverpoolFC.com

Bob Paisley possui uma taxa de 2,2 conquistas por temporada, que só foi superada recentemente por Pep Guardiola — que está a menos tempo no comando técnico do Manchester City.

Além disso, Paisley foi o primeiro treinador a comandar três times vencedores da Champions League — só sendo igualado por Zinedine Zidane e ultrapassado por Carlo Ancelotti.

Bob Paisley ainda serviu como diretor até se aposentar no início de 1992, devido a problemas de saúde: ele foi diagnosticado com Alzheimer. Bob morreu em decorrência da doença dois anos depois, em 14 de fevereiro de 1996, aos 77 anos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!