Matérias » Personagem

Os dias melancólicos de John Daniel, o gorila que cresceu como criança

O caso aconteceu na Inglaterra do início do século 20, e marcou a triste saga da curta vida do animal

Caio Tortamano Publicado em 28/06/2020, às 08h00

O gorila John Daniel com a sua família inglesa
O gorila John Daniel com a sua família inglesa - Divulgação - Arquivo de Uley

A pequena cidade de Uley, ao sul da Inglaterra, tem poucas coisas impressionantes sobre ela. Apenas uma história destaca o povoado das demais localidades do país: uma família adotou um gorila e o criou como se fosse uma das crianças da casa.

O bizarro fato, desvendado pela BBC, aconteceu por volta de 1900, e o macaco — batizado de John Daniel — foi comprado pelo irmão de Alyce Cunningham (quem viria a criar o primata). Rupert Penny viu o pequeno gorilinha em uma loja de departamentos em Londres e, já que o simpático macaco que vinha do Gabão custava apenas o equivalente a 1.200 reais, decidiu levar para sua irmã.

Chegando lá, o macaco recebeu os maiores cuidados possíveis, tinha seu próprio quarto e sabia como utilizar um interruptor para ligar e desligar a luz e que suas necessidades tinham que ser feitas no banheiro, como as outras pessoas da casa.

Na casa de campo, Daniel era unanimidade, e as pessoas recebiam bem o inusitado morador do local. As crianças, principalmente, adoravam o gorila, já que ele por diversas vezes brincava com elas e as levava para a escola. Entre a sua alimentação, o animal comia rosas e, como todo bom britânico, tomava chá.

Os anos foram passando, o gorila acabou eventualmente crescendo para o tamanho que um primata desse tamanho deve chegar. Alyce não podia mais cuidar de um macaco prestes a se tornar adulto, então, resolveu vender Daniel para um comprador americano.

Cunningham achava que o novo proprietário iria levar o macaco para morar em uma fazenda na Flórida, para viver uma vida confortável — e, aparentemente, feliz —, como a que vivia na Inglaterra. A realidade foi um pouco mais cruel com o gorila, que passou a estrelar no circo Barnum and Baileys, em Nova York.

Não demorou para que a saúde do animal, acostumado com um estilo de vida humano, se deteriorasse rapidamente. Sabendo disso, Alyce decidiu pegar o primeiro navio em direção para a América do Norte para encontrar o seu amado colega.

John acabou morrendo de pneumonia antes que sua antiga mãe pudesse encontrar com ele. Faleceu completamente fora de hora. Uma vez que gorilas tendem a viver de 35 a 40 anos, morreu ainda jovem, com apenas 4 anos e meio.


+Saiba mais sobre o tráfico de animais nas obras disponíveis na Amazon

Joias da Floresta: Antropologia do Tráfico de Animais, por Felipe Ferreira Vander Velden (2018) - https://amzn.to/2yCEqN0

O Brasil na Rota do Tráfico Internacional de Animais Silvestres - A História da Operação Boitatá e a Serpente de Um Milhão de Dólares, por Carlos Magno Abreu (2013) - https://amzn.to/2xH9DPb

Rimas da floresta, por José Santos e Laura Beatriz (2007) - https://amzn.to/2XVHNJD

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du