Matérias » Japão

A pedra japonesa ‘amaldiçoada' que se relaciona com Naruto

Recentemente partida em dois pedaços, a rocha carrega uma lenda famosa no Japão

Redação Publicado em 12/03/2022, às 08h00

A pedra rompida em dois pedaços no Japão
A pedra rompida em dois pedaços no Japão - Divulgação/Twitter/@Lily0727K

Na última semana, uma história real que parece ter saído de um anime, mangá ou até mesmo jogo começou a causar preocupação entre moradores da região de Montanhas em Tochigi, nas proximidades de Tóquio, no Japão, conhecida por suas fontes termais.

Muitos internautas começaram a comparar a situação com o que acontece no anime Naruto quando personagens descobrem que uma pedra, alvo de uma lenda milenar, se partiu misteriosamente em dois pedaços bastante similares.

Conhecida como “Pedra da Morte” ou ainda pelo nome local “Sessho-seki”, a rocha vulcânica, segundo uma crença local, teria sido responsável por aprisionar um “espírito maligno” por muitos anos.

E o demônio seria ninguém mais ninguém menos que Tamomo-No-Mae, identificada como a famosa Raposa de Nove Caudas no mundo das produções japonesas, como reportou o jornal britânico The Guardian.

Lendas e mitologia

Segundo a mitologia, a pedra guardaria o cadáver transformado de Tamamo-no-Mae, uma bela mulher envolvida em um esquema bastante perturbador, tramado há muitos anos.

A moça — forma feminina a qual o demônio assumiu — teria participado de um plano desenvolvido por um senhor da guerra feudal para assassinar o imperador japonês Toba, cujo governo perdurou entre os anos de 1107 e 1123.

Além da origem do demônio, muitas histórias envolvem a pedra. Alguns afirmam que quem entrar em contato com ela poderá morrer e outros acreditam ainda que, sua verdadeira identidade era a de uma raposa de nove caudas, cujo espírito está embutido na rocha.

A história fez muitos fãs de animes lembrarem do que se passa em Naruto, com Kyuubi, espírito maligno com a forma de uma raposa de nove caudas que acompanha o protagonista em toda a produção.

O rompimento

O fato de a pedra ter se partido em dois fez com que os moradores da região ficassem preocupados porque eles, seguindo a lenda, acreditam que, agora, o espírito que ela armazenava pode ter sido libertado após tanto tempo.

Algumas pessoas explicaram o rompimento a partir da teoria de que a rocha expele “gás venenoso", o que lhe rendeu seu nome. Outras sugeriram que isso aconteceu após um ritual de exorcismo do demônio feito por um monge budista, que teria espalhado partes dele por todo o Japão.

A situação se tornou mais conhecida quando turistas começaram a compartilhar fotos da pedra quadrada nas redes sociais, trazendo atenção ao ocorrido e, consequentemente, medo em decorrência das lendas.

“Sinto que vi algo que não deveria ser visto”, escreveu um internauta no Twitter em uma publicação sobre o rompimento da famosa pedra.

Outro disse: "Achei que 2022 não poderia ficar pior. Agora um espírito japonês furioso está livre de sua pedra da morte".

No entanto, a mídia japonesa local reportou que rachaduras estavam sendo observadas no objeto há anos, o que pode ter possibilitado que água se infiltrasse e enfraquecesse sua estrutura, ou seja, sem mistérios.

Para a chefe de um grupo de guias voluntários locais, Masaharu Sugawara, que falou ao jornal japonês Yomiuri Shimbun, trata-se de uma “vergonha” a pedra ter se partido em dois, pois ela era um símbolo importante da região. Ainda assim, ela concorda que isso faz parte da natureza.