Matérias » Bizarro

Por trás da fantasia roxa: o intrigante segredo de David Joyner, ator do amado Barney

Protagonista da série infantil desde 1991, o ator tinha páticas bastante inusitadas que geram polêmicas até hoje

Pamela Malva Publicado em 12/05/2020, às 18h30

Barney, o famoso dinossauro roxo
Barney, o famoso dinossauro roxo - Divulgação

Desde sua criação, em meados dos anos 1990, Barney, um dinossauro roxo bastante gentil conquistou gerações. Com seus episódios divertidos e músicas animadas, o grandão era o amigo imaginário preferido de diversas crianças.

Criado a partir de outra série, cujo protagonista é o Tiranossauro Rex, Barney e seus amigos ajudou a lançar artistas mirins em Hollywood e ainda ensinava pequenos de todas as idades. Na produção, mais do que o dinossauro, o amor era o protagonista.

Pelo menos era nisso que David Joyner pensava quando vestia a fantasia de Barney. Contratado em meados de 1991 para personificar o dinossauro, David teve de deixar uma de suas paixões para trás — mas não a abandonou completamente.

David Joyner, o ator por trás do Barney / Crédito: Divulgação

 

O nascimento de um amigo

Quando viu sua fica hipnotizada por um dinossauro roxo, o empresário Larry Rifkin sabia que tinha encontrado a mais nova febre do momento. Barney, um T-rex animado, nasceu no original Barney e a turma do quintal, em 1988.

Mas foi apenas quando Larry colocou as mãos na produção que ela virou a famosa e aclamada série infantil, em 1991. Para dar continuidade ao projeto, a Lyrick Studios escolheu um protagonista que tinha a cara do papel: David Joyner, de 28 anos.

Transmitida pela emissora norte-americana PBS, Barney e seus amigos ganharam o amor de diversas crianças em seus mais de 260 episódios. Assim, a série se manteve no topo das paradas até seu último capítulo, em setembro de 2009.

O querido Barney / Crédito: Divulgação

 

Um protagonista diferente

Gentil e carismático — assim como seu personagem —, David Joyner era o jovem perfeito para o papel. Mas ele tinha um hobbie que não agradava muito os produtores da série infantil: ele era apaixonado por sexo tântrico.

Foi aos 20 anos que o jovem nascido em Illinois, nos Estados Unidos, conheceu a prática das massagens e técnicas tântricas. Foi amor à primeira vista. Ele logo se conectou com o universo erótico e passou a trabalhar em seus chacras.

Em 1991, quando foi convidado para fazer a série, no entanto, David se viu obrigado a largar sua paixão. Ao assinar o contrato, também assegurou aos seus chefes que não ensinaria, praticaria ou falaria sobre o tantra enquanto interpretasse o Barney.

David manteve-se na linha até o final de sua contratação, em 2001. Em entrevista à Vice, contudo, o ator confirma que usou muito da teoria tântrica para desenvolver seu personagem durante sua participação na série.

David Joyner, agora profissional tântrico / Crédito: Divulgação

Um ator cheio de amor

“A energia que eu trouxe [enquanto] no traje foi baseada no fundamento do tantra, que é o amor”, David começou explicando em sua entrevista para a Vice. Para o ator, foi sua conexão com o íntimo que permitiu a ótima recepção do Barney.

“Antes de entrar no figurino”, ele contou, “eu orava e pedia a Deus que permitisse que seu espírito divino amoroso fluísse através de mim através do figurino e deixasse isso atrair as crianças”. Nesse sentido, David afirma que usou seu treinamento de tantra para manter sua energia durante as filmagens da série.

Na época, ele atuava ao ar livre por horas, dentro de uma fantasia pesada que chegava aos 120 ºC, dependendo do clima. Para aguentar tais condições, as teorias tântricas eram suas melhores amigas.

“David era um cara muito espiritual, um cara muito positivo — ele irradiava energia”, contou Stephen White, roteirista da série de 1992 a 2005, à Vice. O mesmo disse Leah Montes, jovem que contracenou com David dos 9 aos 15 anos. “Ele era excêntrico, maravilhoso e gostava de coisas que eu não tinha conhecimento na época”, contou.

Depois do T-rex roxo

Logo que deixou a fantasia do Barney para trás, David retornou ao seu hobbie favorito e passou a viver de suas práticas tântricas, em 2004. Hoje, ele tem uma lista de clientes satisfeitas que aproveitam das longas sessões — que duram de três a quatro horas.

O trabalho e o método de David, contudo, são constantemente questionados. Isso porque o profissional afirma que mantém relações sexuais com suas clientes, apesar das teorias tântricas não exigirem tais atos.

Com raízes milenares no budismo e no hinduísmo, as práticas tântricas têm diversas facetas que incluem massagens e tratamentos alternativos — mas não o sexo. Durante sua apuração, contudo, a Vice não encontrou qualquer queixa contra Davi por assédio sexual. Para ele, isso parece óbvio: tudo é consensual e previsto em contrato.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Solos e Caminhos Tântricos, de Geshe Kelsang Gyatso (2016) - https://amzn.to/2YVPQ9F

Sexo Tântrico, de Alicia Gallotti (eBook) (2012) - https://amzn.to/2Ag1ge6

As origens do sexo, de Faramerz Dabhoiwala (2013) - https://amzn.to/2WobCBg

Uma breve história do sexo, de Claudio Blanc (2010) - https://amzn.to/3cnuGFo

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W