Matérias » Entretenimento

Rocky nocauteado: O soco que quase matou Sylvester Stallone

Durante as gravações de Rocky IV, em 1985, incidente envolvendo o ator chocou a todos no set de filmagens. “No instante seguinte, me vi em um avião sendo levado para uma sala de emergência”

Fabio Previdelli Publicado em 28/02/2021, às 09h00

Rocky Balboa (Sylvester Stallone) (dir.) lutando contra Ivan Drago (Dolph Lundgren) (esq.)
Rocky Balboa (Sylvester Stallone) (dir.) lutando contra Ivan Drago (Dolph Lundgren) (esq.) - Divulgação

Conhecido por seus filmes 'tiro, porrada e bomba', Sylvester Stallone se tornou um grande ícone do cinema entre as décadas de 1970 e 1980. Muito de seu sucesso foi impulsionado por seu papel na franquia Rocky.  

O filme gerou oito sequências, sendo as mais recentes deles — Creed (2015) e Creed II (2018) — estreladas pelo ator Michael B. Jordan.

Stallone, por sua vez, viveu o personagem principal no primeiro filme e nas seis seguintes continuações, escrevendo o roteiro dos cinco primeiros e dirigindo quatro deles.  

Michael B. Jordan em Creed/ Crédito: Divulgação

 

Entretanto, assim como toda franquia, Rocky apresenta altos e baixos, mesmo assim Rocky IV, de 1985, é quase que unânime, sendo sempre citado com um dos melhores de toda a saga. Não é pra menos, afinal, o longa marca o épico confronte entre Rocky Balboa e o pugilista soviético Ivan Drago.  

Pano de fundo 

O quinto filme da série reflete um importante momento que a sociedade americana vivia naquela época: a Guerra Fria. Com Stallone representando o povo americano, que mesmo ‘apanhando’ algumas vezes, como na Guerra do Vietnã, por exemplo, sabia revidar a altura; e Drago sendo a União Soviética, um personagem forte e agressivo que não se importava de matar um adversário quando lutava, como foi com Apollo Creed.   

Na época em que o filme foi lançado, em 1985, Estados Unidos e a URSS viviam o que muitos chamam de “segunda Guerra Fria”. Entre 1979 e 1985, a tensão entre os dois países aumentou de maneira considerável, já que haviam se tornado mais militaristas. 

O termo “segunda Guerra Fria” é usado por muitos pesquisadores especialistas naquele período, como pode ser corroborado pelas falas do escritor Michael Cox em seu livro Beyond the Cold War: Superpowers at the Crossroads: "A intensidade desta 'segunda' Guerra Fria foi tão grande quanto sua duração foi curta". 

Mikhail Gorbachev, em 1985, em uma cúpula em Genebra, na Suíça / Crédito: Wikimedia Commons

 

Apesar desse pano de fundo, quando o filme foi lançado, a relação entre os dois países já era mais amena. Naquele ano, Mikhail Gorbachev se tornou Secretário-Geral da União Soviética.

A economia do país passava por uma queda acentuada, o que levou Gorbachev a anunciar uma reforma econômica no país, que foi chamada de perestroika, ou reestruturação, em tradução livre.

Neste mesmo ano, o líder soviético e Ronald Reagan se encontraram em Genebra, na Suíça, para negociarem questões econômicas e uma redução da corrida armamentista entre os países.  

Bastidores 

Seja por respirar a Guerra Fria, ou não, o fato é que Rocky IV tem a maior bilheteria da franquia original, tendo arrecadado mais de 300 milhões de dólares ao redor do mundo. Outro ponto que ganhou a atenção dos telespectadores é a épica luta entre o pugilista americano e o soviético. 

A cena, inclusive, é a favorita de Sylvester, que a considera como a melhor luta da história do cinema. “Adorávanos treinar juntos, uma semana depois estávamos batendo forte um no outro! Já fiz muitas lutas em filmes, mas acredito que essa é a melhor luta de boxe da história do cinema ... Dolph Lundgren, também conhecido como Ivan Drago, é uma potência. Lembro-me de quando Drago e Creed entraram em uma trocação feroz de verdade e Drago o socou com muita força no peito e o colocou no canto... Apollo não queria fazer parte disso! Ele deixou o ringue”, escreveu o ator em um post no Instagram. 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Sly Stallone (@officialslystallone)

 

Um fato peculiar dessa cena foi revelado por Stallone no Festival de Cannes de 2019. Em uma entrevista ao The Hollywood Reporter, ele comentou sobre um incidente com Dolph Lundgren durante as filmagens do longa.  

De acordo com o ator, na cena em que gravaram a épica luta, Lundgren lhe deu um soco tão forte que seu coração quase parou. A pancada o deixou internado por quatro dias na UTI de um hospital. Entretanto, ele explica que a responsabilidade pelo ocorrido foi toda dele.  

“Eu falei para ele: ‘Por que não fazemos de verdade? Tente me nocautear, me atinja com toda a força que conseguir’ e isso foi algo realmente estúpido para ser dito”, brincou. “No instante seguinte, me vi em um avião sendo levado para uma sala de emergência. Fiquei na UTI por quatro dias, cercado por várias freiras”, relembrou o ator. 

Nova versão de Rocky IV 

No ano passado, 2020, Rocky IV completou 35 anos, sendo considerado por muitos um clássico da história do cinema. Porém, se engana quem pensa que o filme não tem mais nada a apresentar, afinal, Stallone declarou que está trabalhando na versão estendida do quarto filme da franquia. 

Em suas redes sociais, o ator vem publicando diversas cenas que não aparecem no ‘filme original’. "Para o 35º aniversário, Rocky 4 está ganhando um novo corte do DIRETOR, por mim. Até agora parece ótimo. Comovente. Obrigado MGM, por essa oportunidade de entreter”, comentou Sly.  

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Sly Stallone (@officialslystallone)

 

Apesar de toda a euforia gerada, ainda não há uma previsão de quando o novo corte será lançado, se bem que parece que não irá demorar muito, já que em uma postagem feita no início do mês, Stallone explicou que o filme passa por estágios finais de mixagem de som, que foi aprimorada com novas tecnologias. 


++Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W