Matérias » Curiosidades

Tonya era um menino e a verdadeira Rochelle: 5 curiosidades sobre Todo Mundo Odeia o Chris

Uma das séries mais adoradas da televião brasileira é baseada nas memórias do comediante Chris Rock e, ainda hoje, é permeada de fatos que poucos conhecem. Confira algum deles!

Fabio Previdelli Publicado em 18/10/2020, às 10h00

Personagens de Todo Mundo Odeia o Chris
Personagens de Todo Mundo Odeia o Chris - Divulgação/ CBS Television Distribution

Todo Mundo Odeia o Chris é uma daquelas séries que moram em nossos corações. Independentemente de você já ter assistido várias vezes o mesmo episódio, é praticamente impossível trocar de canal quando se depara com o personagem interpretado por Tyler James Williams

A série criou bordões icônicos que até hoje são usados por diversas pessoas, até mesmo explodindo as redes sociais dos atores da série — algo que nem sempre os agrada, é verdade. Mesmo assim, tem como não lembrar das histórias de vida do carinha que mora logo ali? 

Sim, histórias de vida mesmo, afinal, o seriado é baseado nas memórias da infância do talentoso Christopher Julius Rock III, popularmente conhecido como Chris Rock, que foi o dublador da zebra Martyn de Madagascar e também apresentou o Oscar de 2016. 

Não sabia? Confira abaixo 5 outras curiosidades sobre Todo Mundo Odeia o Chris. 

1. Os fatos que originaram a série

Como já dito, Todo Mundo Odeia o Chris aproveita de memórias da infância de Chris Rock. No entanto, nem sempre essas histórias retratadas na série são 100% fieis a realidade, há sempre uma pequena adaptação. 

Chris Rock (de preto ao centro), junto com sua mãe algum dos seus irmãos / Crédito: Arquivo Pessoal/ Divulgação ABC

 

Um deles é que, apesar de seu pai realmente se chamar Julius, Chris, na realidade, não teve apenas dois irmãos (DrewTonya), mas sim seis: Brian, KennyAndiJordam, Andrew e Tony — sendo que esses dois últimos foram serviram de inspiração para DrewTonya, respectivamente. Isso mesmo, Tonya, na vida real, era um menino. 

E antes que você se pergunte: na vida real, a Rochelle era, na verdade, Rosalie Rock - o ator chegou a falar que a mãe tinha o mesmo temperamento da personagem icônica. 

Outro fato que você pode ter percebido sobre a família de Chris é que na série jamais é dito o sobrenome de algum deles. Ou você acha realmente que o Chris chamava DJ Chrissy Chris?


2. A linha do tempo de Chris 

Outra coisa que foi adaptada para o seriado foi o tempo em que ela se passou. Apesar de Chris realmente ter vivido no Brooklyn, mais precisamente em Bed-Stuy (aonde só doido vai), na vida real, sua infância não se passou entre 1982 e 1987. Na verdade, ela aconteceu um pouquinho antes, de 1978 a 1984. 

A mudança foi motivada pelo fato de que Chris Rock acreditava que já existia muitas produções que se passavam nos anos 1970. Além do mais, a década seguinte dispunha de muito mais referências pop que seriam adaptativas para o programa. E antes que você se pergunte, Bed-Stuy é o apelido carinho dado por Chris ao bairro de Bedford-Stuyvesan.


3. Infância pobre

Na série, Chris é retratado numa família amável, mas que passa por dificuldades financeiras, fazendo com que Julius tenha que trabalhar em dois empregos. Bom, sabendo que Chris tinha seis irmãos ao invés de dois, não há como duvidar disso. 

Chris, Julius, e Rosaline Rock / Crédito: Wikimedia Commons e Arquivo Pessoal/ Divulgação ABC

 

Para se ter uma ideia sobre a situação financeira da família na época, seu amigo Chris Sealy relembra como foi um de seus aniversários. “A festa de 16 anos de Rock foi um refrigerante e água com corante”, conta.


4. Você não tá vendendo drogas né moleque? 

Diante das dificuldades financeiras, em diversas ocasiões Chris quase acabou cometendo atos criminosos. Segundo David Waters, o ator já apanhou da polícia por usar uma arma de brinquedo para amedrontar seus inimigos.  

Porém, em entrevista à revista Details, Rock conta que jamais usou drogas. “Nunca usei crack, mas, num verão, eu e um amigo chegamos bem próximo de traficar”. Por sorte, nunca aconteceu.


5. Joe Caruso e o racismo na escola 

Assim como mostrado na série, Chris realmente estudou em uma escola de uma vizinhança branca, onde sofreu diversos episódios de preconceito racial. “Aos 17 anos, tivemos que tirá-lo de lá, senão ele seria morto”, revelou sua mãe, Rosaline Rock, em entrevista à Fox News. 

Greg, Chris e Caruso na vida real / Crédito: Divulgação ABC

 

Apesar de não ser o único aluno negro da escola, Rock foi um dos poucos. E foi por lá, inclusive, que ele fez uma amizade de longa data com David Moskowitz, que na ficção ganhou o nome de Greg Wuliger.

Na foto acima, também, e possível ver como era o verdadeiro rosto de Joe Caruso, personagem conhecido por fazer bulling contra o protagonista. A escola onde estudaram se chamava James Madison e não Corleone — que é apenas uma referência ao personagem de Dom Vito Corelone de O Poderoso Chefão.


+ Saiba mais sobre o tema através de grandes obras disponíveis na Amazon:

O Melhor de Todo Mundo Odeia o Chris - Volume 1 (DVD) - https://amzn.to/300Jg0H

O Melhor de Todo Mundo Odeia O Chris - Volume 2 (DVD) - https://amzn.to/326eJB6

TV (The Book): Two Experts Pick the Greatest American Shows of All Time (Inglês), de Alan Sepinwall (2016) - https://amzn.to/2W4IsXe

1001 séries de TV para assistir antes de morrer, de Paul Condon (2017) - https://amzn.to/2ANq0Lr

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W