Matérias » União Soviética

Tsar Bomba: o tenebroso monstro soviético

Em 30 de outubro de 1961, a arma nuclear da URSS produziu a maior explosão humana já vista

Joseane Pereira Publicado em 27/08/2029, às 18h15

Nuvem de fumaça causada pela explosão da Tsar-bomba
Nuvem de fumaça causada pela explosão da Tsar-bomba - Wikimedia Commons

No dia 30 de outubro de 1961, uma bomba termonuclear era detonada sobre a ilha Novaya Zemlya, no Oceano Ártico. Produzida pelos soviéticos no auge da Guerra Fria, a RDS-220, que ficou conhecida como Tsar Bomba, foi uma das maiores demonstrações de poder já executadas por uma nação.

A bomba foi construída em 1961 por um grupo de físicos soviéticos — que incluía o cientista Andrey Sakharov, agraciado com o Prêmio Nobel da Paz em 1975 por sua luta pelos direitos humanos. O objetivo da URSS era demonstrar força através da construção da arma, que tinha capacidade de 100 megaton e era incomparável a qualquer outra já construída.

Para que o teste não fosse perigoso demais, os físicos modificaram a bomba para produzir 50 megatons, cerca de 3.800 vezes a força da bomba lançada pelos norte-americanos em Hiroshima. A arma resultante tinha 27 toneladas, oito metros de comprimento e dois metros de diâmetro.

A Tsar Bomba foi lançada pelo bombardeiro Tupolev Tu-95V, pilotado por Andrey Durnovtsev e equipado com um paraquedas que retardaria sua chegada ao chão. Assim, a aeronave teria tempo de voar a uma distância segura. Mesmo assim, o avião foi atingido pela onda de choque e quase caiu.

Tsar Bomba, detonada a 4 km do chão / Crédito: Wikimedia Commons

 

Aproximadamente às 11h32 da manhã, horário de Moscou, a Tsar Bomba foi lançada sobre a Baía de Mityushikha, na Ilha deserta de Novaya Zemlya. A bomba foi detonada a 4 km do chão, quatro minutos após a queda. Uma nuvem de cogumelo com mais de 60 km de altura foi produzida, e o clarão foi visto a quase 2 mil km. Segundo relatos, o calor da explosão teria causado queimaduras de terceiro grau a até 100 km de distância.

De acordo com um dos militares que registraram a operação, “o espetáculo foi fantástico, irreal, sobrenatural”. Mais tarde, um relatório soviético sobre os efeitos da explosão registraria:  “a superfície da ilha foi nivelada, varrida e polida, como se virasse uma pista de patinação. A mesma coisa aconteceu com as pedras. A neve derreteu e suas bordas estão brilhando. Não há sinal de imperfeição no solo”.

Apesar do sucesso, a Tsar Bomba nunca teve uso operacional, sendo considerada apenas uma arma de propaganda. Após a explosão, o físico Sakharov se envolveu arduamente para limitar os testes nucleares ao subterrâneo, contribuindo para limitar impacto dessas armas letais.


+Assista abaixo o vídeo divulgado pela Rússia:


++Saiba mais sobre a Guerra Fria por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Da Guerra Fria à nova ordem mundial, de Ricardo de Moura Faria e Mônica Liz Miranda (2003) - https://amzn.to/3bXDodp

Os últimos soldados da guerra fria, de Fernando Morais (2011) - https://amzn.to/2SrHMtw

Como Começou A Guerra Fria, de Amy Knight (2008) - https://amzn.to/3dbB2aL

A desordem mundial, de Luiz Alberto Moniz Bandeira (2016) - https://amzn.to/3bWLH9k

A Questão Negra: A Fundação Ford E A Guerra Fria, de Wanderson Da Silva Chaves (2019) - https://amzn.to/2yZENBt

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W