Assassinatos de Mahmudiyah: mexendo em vespeiro

Assassinato de família iraquiana em Mahmudiyah inspira filme polêmico do diretor Brian de Palma

Fabiano Onça Publicado em 01/02/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Existem poucas coisas sagradas na América. Os combatentes, as tropas que estão na linha de frente, são uma delas. Tentar discutir qualquer coisa sobre sua conduta é considerado por muitos americanos um ato de traição à pátria. Pois foi justamente isso que o sempre ácido Brian de Palma realizou no polêmico Redacted.

O mote da história sustenta-se num episódio – real – chamado “Assassinatos de Mahmudiyah”, ocorrido em 12 de março de 2006, no Iraque. Um grupo de cinco fuzileiros navais matou toda uma família iraquiana que vivia numa fazenda, para depois se entregar a um estupro coletivo de uma jovem de apenas 14 anos, chamada Abeer Qasim Hamza, que após o ato bestial também foi morta.

O filme simula um documentário. Entremeiam-se na narrativa videodiários, imagens de um suposto documentário francês, depoimentos de iraquianos, noticiário de TV árabe e até mesmo postings de um terrorista. Por trás desse amálgama, vislumbra-se aquilo que De Palma considera a primeira baixa de uma guerra: a verdade. Daí o título do filme, que em português poderia ser traduzido como “Editado”, uma alusão à hipocrisia que governa os relatos sobre a frente de batalha. Na verdade, essa barbaridade só veio à tona porque o sexto soldado que fazia parte do grupo (e que não participou da ação) decidiu denunciar o crime.

Na polarizada sociedade americana, dividida entre os que acreditam ser impatriótico qualquer crítica e aqueles que enxergam nessa guerra o fundo do poço, as reações foram extremas. Por exemplo, Joe Morgenstern, do Wall Street Journal, classificou o filme como uma “aberração horrível”. Já outros críticos, como Mike LaSalle, do San Francisco Chronicle, não pouparam elogios: “Ele não é elegíaco, é enraivecido. E feito com uma intenção clara – acabar com a guerra no Iraque”. Ao menos uma coisa De Palma conseguiu: colocar o tema em discussão.

NAS LOCADORAS

Retreat, Hell!

Direção: Joseph Lewis

EUA, 1952

Um dos filmes pioneiros do “drama de guerra”, gênero que mistura cenas de combate com uma descrição mais humanizada dos recrutas. O cenário é a Guerra da Coréia, onde os marines sustentaram pesadas baixas contra os chineses.

Rescue Dawn

Direção: Werner Herzog

EUA, 2007

O filme é baseado na história real de Dieter Dengler, um alemão que emigrou para os Estados Unidos para se tornar piloto de caça no Vietnã. Dengler foi abatido no Laos e ficou preso num campo de prisioneiros, de onde escapou. No filme, ele vira um herói, mas há quem considere a película uma “propaganda de guerra”.

The Kingdom

Direção: Peter Berg

EUA, 2007

Nesse filme, que foi acusado por alguns de “islamofobia”, agentes americanos são chamados para ajudar na resolução de um atentado à bomba que provocou a morte de vários estrangeiros na Arábia Saudita. O filme é baseado em atentados que ocorreram contra instalações estrangeiras em Riad, em 1996 e 2003.