Austrália: resgate da história

Austrália reconhece unidade que ocultou arma química

Guilherme Gorgulho Publicado em 01/04/2008, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

O Departamento de Defesa da Austrália está lançando um livro no qual reconhece os esforços da unidade militar responsável pelo armazenamento de armas químicas destinadas a combater os japoneses na Segunda Guerra. A existência dessa unidade secreta, que chegou a ser usada como cobaia, foi negada por décadas pelo governo.

Milhares de barris cheios de armas químicas, incluindo gás mostarda, foram escondidos em diversos pontos da Austrália. A existência desse grupo militar somente foi admitida publicamente no fim da década de 1980, mas, o governo se recusava a reconhecer que o comando militar realizara experimentos com armas químicas em seus próprios soldados. Voluntários do exército foram postos em contato com os gases, o que provocou queimaduras, abscessos e problemas de saúde por toda a vida.

A publicação do livro Chemical Warfare in Australia (“Guerra Química na Austrália”) pelo governo vai detalhar a história da unidade, contando como os voluntários foram usados como cobaias por seus próprios comandantes. Segundo o autor, Geoff Plunkett, o grupo tinha o mais perigoso trabalho das Forças Armadas – armazenar, garantir a segurança e transportar bombas e armas químicas diariamente.