São Paulo ganha Museu da Língua

Primeiro espaço do gênero no mundoabre as portas na Estação da Luz

Cláudia de Castro Lima Publicado em 01/03/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

A visita completa dura pelo menos duas horas e meia. Mas separe esse tempo em sua agenda, porque ela vale a pena. Será inaugurado em São Paulo, no dia 21 deste mês, o Museu da Língua Portuguesa, o primeiro do mundo completamente dedicado à língua natal de um país. Em vez de objetos expostos em vitrines ou textos nas paredes, a exposição é muito mais virtual: inclui filmes e módulos multimídia, por meio dos quais o visitante mergulha na história da língua portuguesa, os idiomas que ajudaram a formá-la e o uso do português na literatura e no dia-a-dia dos brasileiros.

O museu vai ocupar – não por acaso – o antigo prédio administrativo da Companhia São Paulo Railway, acima da plataforma da Estação da Luz, no centro da cidade. O local era uma torre de babel: lá, no começo do século 20, imigrantes italianos, japoneses e árabes, entre outros, desembarcavam em São Paulo, vindos do Porto de Santos.

O prédio tem três andares. O primeiro será dedicado a exposições temporárias – a primeira, cuja curadoria é da diretora teatral Bia Lessa, é uma mostra sobre os 50 anos de Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa.

A visitação proposta pela administração do museu, no entanto, começa no terceiro andar. Lá, com hora marcada, um filme trata da origem da linguagem e das línguas. Dele, o visitante passa para a Praça da Língua, onde textos de autores como Machado de Assis são misturados a canções populares.

Após as sessões, a parada é o segundo andar. Lá, mais filmes. Numa tela gigante, de 104 metros de comprimento, 11 documentários de seis minutos cada são exibidos. Eles tratam da língua portuguesa usada, por exemplo, no Carnaval, no futebol e na música. Oito estações no meio do salão mostram como outros idiomas influenciaram o nosso e uma linha do tempo revela de que forma o latim, as línguas africanas e as ameríndias formaram o português que falamos hoje em dia. O último local a ser visitado é a sala Beco das Palavras. Nela, o visitante pode juntar “pedaços” de palavras para formar um termo inteiro e, ao mesmo tempo, aprende sobre etimologia.

Museu da Língua Portuguesa

Praça da Luz, s/no, Centro, São Paulo, SP. De terça a domingo, das 10h às 18h