Curiosidades » Culinária

Como surgiu a pizza?

A pizza como conhecemos nasceu em Nápoles, mas a ideia tem uma longa história

Lucas Vasconcellos Publicado em 27/10/2018, às 12h00

Nápoles é considerada o berço da pizza que conhecemos hoje
Pixabay

Por volta de 7 mil anos atrás, na Mesopotâmia, vivia-se o Neolítico, a última Idade da Pedra. E pedras usavam-se para triturar o trigo. À farinha que surgia, misturava-se água, criando uma massa – então assada sobre pedras quentes. O produto final era um disco, não muito diferente do pão sírio, da tortilha de trigo mexicana ou do roti indiano.

Quanto mais esse tipo de pão era assado, e espalhado entre outras civilizações da época, mais criativos os padeiros ficavam. Até que “em algum lugar no mundo antigo alguém teve a ideia de usar o pão como um prato, cobrindo-o com molho ou pedaços de alimentos”, diz Carol Helstosky, da Universidade de Denver, em seu livro Pizza: Uma História Global.

O próximo passo rumo à pizza que conhecemos hoje se deu na Grécia antiga, quando o pão com função de prato foi assado com temperos e mel. A cada povo que atingia, a massa recebia novas coberturas. Os romanos, por exemplo, colocavam sobre ela uma mistura de queijos, mel e folhas de louro.

O porto de Nápoles serviu de entrada na Itália, pelas mãos dos turcos, no século 11. Por ser barata, era consumida por camponeses. Também foi ali que apareceu o termo “pizza”, com origem no germânico bizzo – algo como “mordida”, “bocado”. Ou talvez direto do grego pitta, como eles ainda hoje chamam o pão sírio (cuja origem é grega).

Apesar do surgimento grego, Nápoles é considerada o berço da pizza que conhecemos hoje em dia, tanto em sabor quanto em aparência. O tomate, que chegou à Europa, vindo da América, no século 16, foi ignorado por mais de um século, porque se acreditava ser venenoso. Foi em Nápoles, em 1692, que foi parar pela primeira vez num livro de receitas.

A pizza deixou de ser exclusividade das ruas em 1830 com o restaurante Antica Pizzeria Port’Alba, ainda em funcionamento. Em 1889, o rei Humberto I e a rainha Marghuerita, durante uma visita a Nápoles, viram pessoas comendo pizza. Atendendo a um pedido da rainha para uma pizza especial, Pietro Colicchio lembrou das cores da bandeira italiana e fez uma versão com queijo, tomate e manjericão – a margherita, no restaurante Brandi, ainda de portas abertas. A pizza conquistaria a família real e, em breve, o mundo.