Curiosidades » Idade Média

Por que os sapatos medievais eram pontudos?

Representados na arte e no imaginário popular, esses sapatos eram um símbolo poderoso e representavam uma característica peculiar

Caio Tortamano Publicado em 07/07/2020, às 17h00

Sapatos representados em obra medieval
Sapatos representados em obra medieval - Wikimedia Commons

A alta classe europeia se preocupava muito com a sua aparência, era por meio dela que iriam se distinguir dos demais, tanto de suas classes quanto, principalmente, das mais baixas. Cores extravagantes, tecidos caros e sapatos pontudos.

Os sapatos eram sempre um investimento, mas aos olhos atuais podem parecer estranhos, muito por conta de seu formato semelhante a uma cenoura, com pontas chegando até 12 centímetros além dos dedões. Tanto que na corte do rei Eduardo IV uma lei teve que ser promulgada proibindo pontas com mais de 5 centímetros.

Os primeiros calçados do tipo foram encontrados na Polônia, mais especificamente na Cracóvia — dando o nome de crakows para esse tipo de sapato — por volta de 1340. Antes existiam sapatos de pontas longas, mas nenhum com essas extensões espalhafatosas.

Calçados como esse eram extremamente caros, então ostentar um desses indicava que você tinha muito dinheiro e poder aquisitivo, e que não participava de nenhuma atividade que te exigisse o mínimo de movimentação (entenda-se trabalho físico).

As pontas eram tamanhas que não conseguiam se sustentar de pé por natureza, fazendo com que os sapateiros da época enchessem as chamadas poulaines com materiais orgânicos como musgo, cabelo e lã. Esses elementos também faziam com que essas pontas enrugassem quando ficassem molhadas.

Sapato medieval pontudo / Crédito: Divulgação - Museu de Londres

 

De certo modo, os crakows eram utilizados como um item de fetiche também. Muitos modelos desses sapatos recebiam cortes para que os tornozelos dos lordes ficasse exposto — parte do corpo que era considerada muito atraente na época.

A curadora do Museu de Londres, Jackie Kelly, que contempla uma vasta coleção desses sapatos, explica: "É uma época em que as túnicas estão ficando mais curtas e os homens jovens estavam exibindo as pernas. Então, sapatos decotados eram usados para acentuar e alongar a perna.”.

Os crakows existentes até hoje são feitos quase unanimemente de couro, mas isso é somente pela deterioração dos outros sapatos de outros tecidos, como veludo e seda, muito mais frágil. Os calçados eram pintados à mão ou recebiam costuras com retalhos nobres. Por mais que estejam em diversas pinturas e representações medievais, nenhum exemplar até hoje foi encontrado.

Os sapatos se destacam tanto porque a moda medieval era composta quase que unicamente de peças limpas, de certa forma até minimalistas. Uma possível explicação para isso seria a pandemia da Peste Negra, que eliminou cerca de 45% da população europeia de uma só vez.

Isso é explicado talvez por um possível sentimento de luto sentido pelos europeus, uma espécie de austeridade. Depois de perder muitos entes queridos, haviam poucas pessoas com mais dinheiro para gastar com roupas e moda, tornando esse visual mais chamativo uma espécie de terapia para esses homens. 

Mudanças visuais como essa não são exclusivas desse período, uma vez que são grandes as diferenças nas roupas características dos períodos que sucederam as Grandes Guerras Mundiais se comparadas com as suas décadas passadas.

A moda das poulaines foi passageira em termos medievais, uma vez que as tendências estilísticas demoravam séculos para passar, graças ao lento processo de difusão cultural que acontecia na Europa. 

Por exemplo, para uma moda chegar até as zonas rurais, elas tinham que nascer nos castelos e grandes residências dos lordes e ir gradativamente baixando de classe até chegar nas mais baixas.

Esses longos sapatos foram tão marcantes para sua sociedade que chegaram a virar motivo de votação no Parlamento. Muitas pessoas acreditavam que quanto maior fosse o bico do sapato de um homem, maior seria seu pênis.

Isso fez com que parlamentares enxergassem o uso de poulaines como um ato de indecência pública, como se o homem estivesse de fato apontando o tamanho de seus dotes sexuais. Com isso, uma série de imposições foram feitas, como a já mencionada lei dos 5 centímetros de limite para os bicos.

A moda aparentemente sumiu por volta de 1475, quando o costume era utilizar sapatos quadrados, parecendo pequenos blocos.


+Saiba mais sobre a Idade Média por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Idade Média: O que Não nos Ensinaram, de Régine Pernoud (2016) - https://amzn.to/2RtmFWV

Homens e mulheres da Idade Média, de Jacques Le Goff (2014) - https://amzn.to/2JXWK5O

História medieval, de Marcelo Candido da Silva (2019) - https://amzn.to/3b23lbh

A Idade Média. Nascimento do Ocidente, de Hilario Franco Jr. (2001) - https://amzn.to/2Vix1u1

História da Educação na Idade Média, de Ruy Afonso da Costa Nunes (2018) - https://amzn.to/3b23mMn

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W