A lama que salvou a Europa

Mongóis só não tomaram o continente por causa de um grande atoleiro

Fabio Marton Publicado em 04/08/2016, às 12h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

O Exército mongol pode ter sido derrotado pelo mau tempo
O Exército mongol pode ter sido derrotado pelo mau tempo - divulg
Em 1241, os exércitos mongóis estavam às portas da Europa Ocidental. Dominando toda a Hungria, exceto as cidades fortificadas, eles estavam prestes a se mover para a Áustria e, de lá, talvez, todo o resto do continente. No ano seguinte, eles simplesmente deram as costas e se bandearam para a Mongólia, para nunca mais voltar. 
Tradicionalmente, a razão para o milagre teria sido a morte do Ögedei Khan, filho de Gengis, em dezembro de 1241. A horda teria dado meia-volta para decidir quem seria seu sucessor. Mas é possível que haja um fator mais definitivo que a linha sucessória: a lama. 
Um estudo em anéis de troncos de árvore da Universidade de Princeton, Estados Unidos, revelou que, entre 1241 e 1242, a Hungria passou por um inverno particularmente forte em nevascas, seguido por uma primavera intensamente úmida. Os pastos pelos quais os mongóis haviam invadido a Hungria tornaram-se pântano. Os invasores acabaram literalmente presos num atoleiro. 
Essas condições eram as piores possíveis para um Exército formado por quase exclusivamente cavalaria. Os animais mal podiam se mover. “A evidência é que eles não estavam felizes com o terreno em que operavam”, afirmou o historiador Nicola di Cosmo, condutor do estudo, ao site LiveScience. “Esse é um dos raros casos em que podemos identificar uma mudança climática minúscula, em um único inverno, e ligá-la a um evento histórico particularmente importante.”