Notícias » Austrália

60 mil coalas se feriram ou morreram durante incêndio florestal na Austrália, aponta relatório

Além dos coalas, o fogo ainda afeitou outros 3 bilhões de animais, destruiu 24 milhões de hectares e deixou 33 mortos

Fabio Previdelli Publicado em 07/12/2020, às 12h22

Imagem ilustrativa de um coala dormindo
Imagem ilustrativa de um coala dormindo - Pixabay

De acordo com um relatório encomendado pelo Fundo Mundial para a Natureza-Austrália, mais de 60.000 coalas estavam entre os animais gravemente afetados pela crise do incêndio florestal na Austrália, há um ano. 

O lugar onde ocorreu o maior número de perdas foi na Ilha Kangoroo, no sul do país. Por lá, estima-se que mais de 41.000 coalas foram feridos com o incêndio ou acabaram mortos. O levantamento ainda dá conta de outros 11 mil afetados no estado de Victoria, 8 mil em New South Wales (NSW) e cerca de 900 em Queensland. 

“Sessenta mil coalas impactados é um número profundamente perturbador para uma espécie que já está em apuros”, disse Dermot O'Gorman, presidente-executivo do WWF-Austrália, em um comunicado, informou o Al Jazeera. “Não podemos nos dar ao luxo de perder coalas sob nossa supervisão.” 

Em setembro de 2019 e no início desse ano, incêndios florestais que varreram o sudeste da Austrália destruíram mais de 24 milhões de hectares de terra e deixaram 33 mortos. 

Em julho, o WWF publicou uma versão preliminar do estudo que revelou que quase 3 bilhões de animais — mamíferos, pássaros, répteis e sapos — estavam no caminho das chamas. 

Os coalas, que geralmente passam a maior parte do tempo nas árvores, sofreram ferimentos, traumas, inalação de fumaça, estresse causado pelo calor, desidratação e morte, disse o relatório. 

Os marsupiais também foram afetados pela perda de habitat e pelo conflito com outros animais enquanto fugiam para a floresta não queimada, bem como pela redução do suprimento de alimentos.