Notícias » Brasil

Agência Europeia de Medicamentos afirma que vacina AstraZeneca não causou morte de enfermeira

O órgão realizou uma investigação preliminar para entender o que havia ocorrido

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 11/03/2021, às 14h52

Imagem meramente ilustrativa de vacina sendo retirada de ampola
Imagem meramente ilustrativa de vacina sendo retirada de ampola - Divulgação/Pixabay

Na última quarta-feira, 10, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou que sua investigação preliminar concluiu que a vacina AstraZeneca não foi responsável pela morte da enfermeira austríaca que morreu pouco tempo após receber uma dose do imunizante. 

A mulher de 49 anos faleceu após apresentar “graves problemas de coagulação”. Segundo um comunicado do órgão de saúde, “Não há no momento qualquer indicação de que a vacinação tenha causado esses problemas, que não são classificados como efeitos colaterais". A declaração foi repercutida pelo UOL. 

Vale dizer que a remessa de um milhão de imunizantes de onde saiu a vacina que a enfermeira havia tomado foi fragmentada entre 17 países diferentes, com sete desses decidindo cancelar a aplicação das doses após o caso vir a público.  

Segundo admitido pela própria organização, houve outros três casos não-fatais de trombose (formação de coágulos bloqueando passagem do sangue em veias do corpo) em pacientes que receberam a AstraZeneca. 

“Embora um defeito de qualidade seja considerado improvável a esta altura, a qualidade está sendo investigada", garantiu ainda a Agência Europeia de Medicamentos.