Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nelson Piquet

Após comentários racistas, ação contra Piquet pede R$ 10 milhões de indenização

Entidades vão á Justiça após comentários racistas e homofóbicos de Nelson Piquet

Luisa Alves, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 05/07/2022, às 17h47

Ex-piloto Nelson Piquet - Agência Brasília via Wikimedia Commons
Ex-piloto Nelson Piquet - Agência Brasília via Wikimedia Commons

O ex-piloto de Fórmula 1, Nelson Piquet, é acusado de danos morais coletivos e danos sociais por entidades que foram à Justiça do Distrito Federal (TJDFT), na segunda-feira, 4. A indenização é de R$10 milhões por seus comentários racistas e homofóbicos

Iniciativa da associação Educafro, do Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese São Paulo e da Aliança Nacional LGBTI+, a ação é resultado dos comentários do ex-piloto em vídeo publicado pelo portal Grande Prêmio. 

Ao se referir ao piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, Piquet usou o termo "neguinho", além disso, ofendeu Keke e Nico Rosberg e fez um comentário de cunho homofóbico.

O Keke? Era uma b... Não tinha valor nenhum. É que nem o filho dele (Nico), ganhou um campeonato, o neguinho (Hamilton) devia estar "dando mais c..." naquela época e estava meio ruim", disse Piquet.

De acordo com o G1, segundo a associação Educafro e o Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese São Paulo e da Aliança Nacional LGBTI+, Piquet, "líder e expoente do esporte brasileiro, em manifestação explícita de racismo e de homofobia, violou a um só tempo o direito fundamental difuso à honra da população negra e da comunidade LGBTQIA+".

A ação declara que as falas de Nelson Piquet, ferem "o direito de toda a sociedade de não se ver afrontada por ações dessa natureza, que ofendem a generalidade das pessoas, gerando repulsa e indignação, o que leva à necessária aplicação do dever de reparar o dano moral perpetrado contra todos, indistintamente, pela via da grave violação de valores fundamentais historicamente conquistados".

"O ex-piloto brasileiro que vociferou publicamente as aviltantes injúrias raciais e homofóbicas é personalidade pública, tricampeão de Fórmula 1, portanto é de se presumir o impacto causado em todos aqueles que assistiram ao vídeo, especialmente os de etnia negra e os membros da comunidade LGBTQIA+, sabedores da amplitude e da gravidade das ofensas perpetradas pelo réu".

Depois da divulgação do ocorrido, o ex-piloto foi banido pela Fórmula 1, do espaço que reúne convidados nas corridas, o paddock. Além disso, a própria F1, a FIA (Federação Internacional do Automobilismo) e a Fórmula E, emitiram notas de repúdio aos comentários.

Pedido de desculpas

Após a repercussão do caso, Piquet, emitiu um comunicado de desculpas pela situação. Nele, o tricampeão atribui sua fala a forma coloquial do idioma português brasileiro, dizendo que seus comentários foram "mal pensados".

Os autores exigiram que além da indenização de R$ 10 milhões,  Nelson Piquet  seja condenado a publicar pedidos públicos de desculpas em notas nas suas redes sociais. No caso de reiteração de conduta em qualquer espaço digital , o ex-piloto será condenado a pagar R$ 100 mil.