Notícias » Brasil

Câmara dos Deputados vota pela cassação do mandato de Flordelis

Pouco antes, ainda nesta quarta-feira, 11, o STF negou o pedido da defesa da mulher, que buscava suspender a sessão

Pamela Malva Publicado em 11/08/2021, às 18h00

Fotografia de Flordelis
Fotografia de Flordelis - Divulgação/ Instagram/ @flordeliscantora

Nesta quarta-feira, 11, a Câmara dos Deputados aprovou, por 437 votos a 7, a cassação do mandato da agora ex-deputada Flordelis. Com isso, a acusada de comandar o assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, ainda ficará inelegível.

Segundo o UOL, Flordelis é ré em um caso de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada. Por esses crimes, ela é monitorada desde o ano passado por uma tornozeleira eletrônica.

Pouco antes da votação, contudo, a então deputada reiterou que considera-se inocente de todas as acusações. Em seu discurso no plenário da Câmara, a mulher ainda pediu que seja julgada pelo povo, não pelos demais deputados presentes no local.

Eu não posso e não devo pagar pelos erros de ninguém. Quando o Tribunal do Júri me absolver, vocês vão se arrepender de ter cassado uma pessoa que não foi julgada", narrou. “Caso eu saia daqui hoje, saio de cabeça erguida porque sei que sou inocente.”

“Todos saberão que sou inocente”, reiterou Flordelis. “A minha inocência será provada e vou continuar lutando para garantir a minha liberdade, a liberdade dos meus filhos e da minha família, que está sendo injustiçada.”

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Flordelis ⚜️ (@flordeliscantora)

 

Ainda na manhã desta quarta-feira, 11, segundo a CNN, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou o mais recente pedido da defesa de Flordelis, que buscava suspender e impedir a sessão da Câmara que iria votar a cassação do mandato da acusada.

Acontece que, para a ministra Cármen Lúcia, que proferiu a decisão, os argumentos da defesa de Flordelis apresentavam uma “ausência de requisitos inconstitucionais e legais para o processamento válido desta ação”. Por isso, o pedido teria sido negado.