Notícias » Arqueologia

Casa de 1.500 anos, com impressões de patas de cachorros e espadas romanas, é descoberta na Turquia

Os pesquisadores acreditam que a residência tenha sido habitada por uma autoridade militar ou civil da região na época

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 28/01/2021, às 13h36

Impressão de pata de cachorro e desenho na parede
Impressão de pata de cachorro e desenho na parede - Divulgação - Archaeological Exploration of Sardis/President and Fellows of Harvard College

Arqueólogos descobriram uma casa de aproximadamente 1.500 anos com características peculiares na Turquia. Eles encontraram impressões de patas de cachorros no local, além de identificarem padrões de pinturas ilusórias nas paredes. As informações são do portal LiveScience.

"Os azulejos preservaram as pegadas de filhotes de cachorro e, em um caso raro, a pegada de uma cabra", explicou Frances Gallart Marqués, ex-curadora do Harvard Art Museums. Acredita-se que os animais tenham andado pelos ladrilhos enquanto eles secavam, o que pode ser a versão antiga dos cachorros que andam pelo cimento ainda molhado das calçadas nos dias de hoje.

Vanessa Rousseau, professora da Universidade de St. Thomas, explicou que as paredes em questão possuem pinturas que representam gesso, cortinas drapeadas e mármore, uma ilusão para quem as observa. O indivíduo ficaria "cercado pela falsificação um tanto surreal de mármore pintado e cortinas".

Mas além da decoração da casa, os pesquisadores também encontraram artefatos de guerra dentro do local. Foram identificadas cinco espadas longas de mais de 50 centímetros, conhecidas como spathae, que eram usadas pelos antigos romanos, fivelas e selos de chumbo supostamente usados para carimbar documentos oficiais. 

A partir dessas descobertas, os arqueólogos chegaram à conclusão de é muito provável que a residência tenha sido habitada por alguma autoridade militar ou civil da região. Possivelmente alguém que participou de combates.