Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Cientistas desvendam mistério de meteorito presente no início de Marte

O objeto pode ajudar nas pesquisas sobre a origem da Terra; saiba como

Alan de Oliveira | sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 14/07/2022, às 11h13

Meteorito nomeado NWA 7034 e apelidado de Black Beauty - Divulgação/ Site NASA
Meteorito nomeado NWA 7034 e apelidado de Black Beauty - Divulgação/ Site NASA

Um grupo de cientistas publicou um artigo na revista Nature Communications, na terça-feira, 12, o qual revela a descoberta da origem de um meteorito marciano dos primeiros instantes do planeta. O corpo celeste seria potencialmente rico em pistas sobre a formação da Terra.

Chamado de "Black Beauty" ("Beleza Negra"), o artefato NWA 7034 deixou os pesquisadores entusiasmados desde a sua descoberta em 2011, no Saara. O bloco pesava por volta de 300 gramas antes de ser cortado para os estudos e é "uma das rochas mais antigas na história da geologia", comentou para a AFP o planetologista Sylvain Bouley, que assinou o artigo.

Conforme a apuração do portal Tilt, o achado é um "livro aberto sobre os primeiros momentos de Marte", uma vez que ele contém zirconita, o mineral mais antigo conhecido no nosso planeta, 4,48 bilhões de anos atrás. Ou seja, "cerca de 80 milhões de anos após o início da formação dos planetas", explicou Bouley.

Para aprofundar os estudos, os planetologistas da Universidade de Curtin, na Austrália, determinaram que o principal objetivo desde 2011, era achar com exatidão a origem de tal meteorito e com a ajuda de pesquisadores franceses, chegaram ao feito. Fica em meio a uma cratera que abriga uma crosta que não mudou substancialmente desde a formação do grande planeta vermelho.

Presume-se que cada cratera tenha mais de 3 km de distância. No entanto, Marte conta com cerca de 80.000 desse mesmo tamanho, o que dificultou um pouco a exploração de informações.

Empolgação com o feito

Anthony Lagain, cuja tese de doutorado se concentrou, em particular, na datação de crateras marcianas, falou sobre como todo o trabalho, desde o descobrimento até essa semana, foi recompensador com o desfecho histórico.

“Entender a formação das primeiras crostas planetárias é entender o que aconteceu logo no início e como se chega a um planeta tão excepcional como a Terra no Universo”, disse à AFP.

Você pode ler o estudo completo por meio deste link.