Notícias » Civilizações

Civilizações alienígenas podem ter explorado a galáxia e visitado a Terra, indica estudo

Publicado recentemente no The Astromical Journal, a pesquisa tenta responder um complexo paradoxo: onde estão todos?

Fabio Previdelli Publicado em 10/09/2019, às 11h00

None
- Reprodução

Se existe vida alienígena inteligente em algum lugar da galáxia, por que estes seres ainda não nos visitaram? Onde estão todos? Essa segunda pergunta foi feita em 1950, pelo físico italiano e construtor do primeiro reator nuclear, Enrico Ferni. O questionamento virou um paradoxo, que recebeu o nome de Enrico, o Paradoxo de Ferni.

Um estudo recentemente publicado no The Astromical Journal tenta responder essa pergunta, ou sugerir uma resposta plausível para esse questionamento. Segundo Jonathan Carrol-Nellenback, cientista computacional no Centro de Pesquisas Integradas da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, a vida extraterrestre inteligente poderia estar demorando o tempo necessário para explorar a galáxia e dominar por completo o movimento de sistemas estelares.

Para o autor do estudo “se você não considera o movimento das estrelas ao tentar resolver esse problema, fica basicamente com uma de duas soluções [...] Ninguém sai de seu planeta, ou somos de fato a única civilização tecnológica da galáxia”.

Se existe vida alienígena inteligente em algum lugar da galáxia, por que eles ainda não nos visitaram? Onde estão todos? / Crédito: Reprodução


A teoria dos pesquisadores se baseia no fato de que as estrelas e os planetas orbitam o centro da galáxia em velocidades e direções diferentes, mas que ocasionalmente eles se cruzam. Seria nesse momento que ocorreria às viagens interplanetárias, quando os alienígenas viajam para destinos que estão próximos deles.

Levando isso em conta, eles pensam que os extraterrestres podem ainda não ter chegado até nós ou, se o fizeram, poderiam ter visitado a Terra muito antes de os seres humanos a terem habitado, tendo em conta que a maioria dos cientistas acredita que a Terra tem cerca de 4,6 bilhões de anos.

Os autores sugerem que se uma visita tiver ocorrido, é plausível que, com os milhões de anos passados, esses vestígios já desapareceram. Eles também consideram que se o contato já aconteceu, outra estadia não seja tão necessária assim para eles, já que os seres podem preferir visitar planetas sem habitantes ou ainda desconhecidos.