Notícias » Polônia

Com novas restrições a lei sobre o aborto, manifestações tomam a Polônia

O aborto em casos em que o feto possui problemas congênitos deixou de ser permitido

Giovanna Gomes Publicado em 26/10/2020, às 08h08

Manifestação contra a decisão da Corte Constitucional
Manifestação contra a decisão da Corte Constitucional - Getty Images

Uma série de manifestações ocorreu neste domingo, 25, na Polônia devido ao endurecimento da lei que gere a prática do aborto. A Corte Constitucional polonesa passou a proibir o aborto em casos de má formação do feto, o que deixou muitas pessoas inconformadas.

Como consequência, o último domingo, 26, foi marcado por protestos, que, em alguns pontos acabou em conflito entre manifestantes, policiais e ativistas antiaborto. Em algumas cidades, manifestantes entraram em igrejas católicas em protesto contra a medida, com paredes de alguns templos sendo pichadas com números de fornecedores de pílulas abortivas.

Em Varsóvia, capital da Polônia, ativistas nacionalistas e conservadores formaram um cordão nas escadas de acesso à Igreja da Santa Cruz com o objetivo de impedir a passagem de manifestantes. Também na cidade de Katowice houve conflito, sendo que a polícia teve de evitar confrontos entre ativistas pró-aborto e os conservadores.

Com a decisão, o aborto agora só é permitido no país em casos de estupro, incesto ou se a saúde da mãe estiver em risco. O país hoje governado por um partido conservador é o mais religioso da Europa, com mais de 90% de sua população adepta ao Catolicismo.