Notícias » Dinamarca

Dinamarquês que assassinou jornalista em submarino é pego após tentar fugir da prisão

Peter Madsen foi condenado à prisão perpétua pela morte da repórter Kim Wall, em 2017

Penélope Coelho Publicado em 20/10/2020, às 14h19

Fotografia de Madsen em novembro de 2010
Fotografia de Madsen em novembro de 2010 - Wikimedia Commons

Nesta terça-feira, 20, o ex-empresário dinamarquês Peter Madsen — que foi condenado à prisão perpétua como culpado pela morte da jornalista Kim Wall em seu submarino artesanal — foi pego pela polícia após uma tentativa de fuga. As informações são da agência de notícias AFP.

O homem foi detido a alguns metros do local onde cumpre sua pena, segundo a publicação, Madsen supostamente teria proferido ameaças para as autoridades com um "objeto parecido com uma pistola", contudo, essa informação não foi confirmada pela polícia, que por sua vez, logo encurralou o criminoso. O homem foi levado de volta para a prisão de Albertslund, no subúrbio de Copenhague.

O homem que era conhecido como um inventor foi condenado em abril de 2018 pelo assassinato da jornalista Kim Wall, de 30 anos, que em agosto de 2017 foi entrevistar Peter em seu submarino. No julgamento, o dinamarquês admitiu que cortou o corpo da mulher e o arremessou no Mar Báltico. Contudo, enfatizou que a morte teria sido acidental.

Recentemente, Madsen mudou sua versão em entrevista para um documentário exibido em uma rede de televisão da Dinamarca: "Só existe um culpado e sou eu", revelou o homem sobre o crime.