Notícias » Ucrânia

Documentos da CIA evidenciam colaboração nazista por trás do legado de Stepan Bandera, o "herói ucraniano"

Envolvido com o nazismo, Stepan Bandera é tido como um herói nacional por ter promovido a fundação do Estado Independente da Ucrânia

Caio Tortamano Publicado em 28/01/2020, às 08h00

Selo comemorativo dos 100 anos de nascimento de Stepan Bandera
Selo comemorativo dos 100 anos de nascimento de Stepan Bandera - Wikimedia Commons

A CIA, Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos, revelou uma série de documentos onde é apontado que o líder político do Exército Insurgente da Ucrânia, Stepan Bandera, colaborou ativamente com o Reich de Hitler.

O documento da Agência aponta uma série de crimes de guerra no território ucraniano durante ocupação nazista. Em apenas cinco semanas, foram assassinados 5.000 ucranianos e 15.000 judeus. Entre os semitas, 10.000 foram mortos de uma só vez.

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russa, Maria Zakharova, comentou que a Rússia já havia denunciado os crimes praticados por Bandera muito antes de o relatório americano ter sido divulgado.

"O herói da Ucrânia moderna é um agente profissional de Hitler, nazista e criminoso. Quantas vezes falamos sobre isso antes da publicação destes materiais e quantas vezes os personagens ucranianos cínicos e sem vergonha negaram o óbvio?", escreveu Zakharova em seu perfil oficial do Facebook. 

Stepan Bandera foi um líder revolucionário ucraniano, cujo movimento buscava instaurar, de uma vez por todas, um estado ucraniano. Foi preso e liberto quando os nazistas invadiram a Ucrânia, instaurando logo depois o Estado Ucraniano do Ocidente. Em 2010, o presidente da Ucrânia, Viktor Yuschenko, concedeu à Bandera o título de Herói da Ucrânia.