Notícias » Estados Unidos

Escândalo de assédio sexual termina com renúncia de governador de Nova York

Andrew Cuomo foi considerado culpado por apalpar e beijar uma série de mulheres sem sua permissão

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 10/08/2021, às 15h28

Andrew Cuomo durante um pronunciamento
Andrew Cuomo durante um pronunciamento - Getty Images

Após ser considerado culpado por crimes de assédio sexual, o governador de Nova York,Andrew Cuomo, renunciou ao cargo nesta terça-feira, 10. O caso foi repercutido pelo UOL. 

Onze mulheres diferentes relataram terem sido vítimas de comportamentos inapropriados da parte do político, com as primeiras sendo duas ex-assessoras suas. 

Após a dupla vir a público, a procuradoria-geral do estado iniciou uma investigação que terminou por concluir que Andrew de fato realizou as infrações relatadas, dessa forma quebrando diversas leis federais. 

O polêmico processo judicial acabou fazendo com que diversos membros do partido de Cuomo o aconselhassem a realizar a renúncia. Até mesmo o presidente dos EUA, Joe Biden, se manifestou a respeito, também pedindo que o norte-americano deixasse seu cargo. 

Andrew deixou uma mensagem final em forma de vídeo em sua conta oficial do Twitter, em que não apenas anunciou que não seria mais o governador do estado, mas também abordou as acusações.  

"Eu achei que um abraço, que colocar o braço ao redor de uma das minhas funcionárias era amigável, mas ela considerou uma investida. Eu beijei a bochecha de uma mulher num casamento, achei que estava sendo gentil, mas ela achou agressivo”, alegou o político na gravação. 

“Assumo responsabilidade pelas minhas ações, abraço e beijo pessoas casualmente, homens e mulheres. Fiz isso a minha vida toda. É quem eu sou desde que me lembro. Na minha cabeça, nunca ultrapassei a linha”, completou ele, ainda conforme o UOL. 

Dentre as onze mulheres que falaram contra o estadunidense, oito relataram que Cuomo fizera comentários de tom sexual ou ofensivo na presença delas, sete afirmaram que foram apalpadas pelo homem em ao menos uma ocasião, e quatro disseram ainda terem sido beijadas pelo político sem consentimento prévio. 

Confira abaixo o vídeo postado por Andrew na íntegra.