Notícias » Estados Unidos

Nos EUA, homem se depara com água-viva de 1 metro

“Quase fui comido por águas-vivas gigantes”, brincou Anatoli Smirnov, que estava correndo na praia quando foi surpreendido pelo animal

Ingredi Brunato Publicado em 28/10/2020, às 15h00

Foto do animal na areia da praia
Foto do animal na areia da praia - Divulgação

Nos Estados Unidos, um homem estava dando uma corrida na praia de Vanderbilt quando encontrou uma água-viva de dimensões impressionantes na areia, com cerca 1 metro de diâmetro. O episódio foi relatado em uma entrevista ao canal de TV Wink News, que cobre notícias do estado da Flórida, onde aconteceu o caso. 

“Quase fui comido por águas-vivas gigantes”, brincou Anatoli Smirnov na entrevista, sem saber que a dieta do animal, embora não o envolvesse, era na verdade bem bizarra. Isso porque o norte-americano havia encontrado uma medusa da espécie Drymonema larsoni (apelidada de “rosa malvada”), que inclui no seu cardápio não apenas plâncton, mas também outras águas-vivas - até as da própria espécie. 

Embora a ideia de uma medusa canibal seja perturbadora, essa espécie praticamente não oferece risco à raça humana. Segundo o biólogo marinho James Douglass, que também deu entrevista ao canal, os tentáculos da rosa malvada, apesar de grandes, não são nem de longe tão doloridos quando de outros exemplares da espécie. 

“É como uma picada de mosquito”, explicou o especialista referindo-se ao veneno do animal. Apesar desse exemplo reconfortante, porém, existem outras águas-vivas gigantes cuja queimadura é extremamente dolorida, como a juba-de-leão, que pode ter até 40 metros de comprimento.