Notícias » Arqueologia

Fóssil de 500 milhões de anos pode ter sido identificado pela primeira vez na Índia

O organismo fossilizado encontrado é considerado uma das primeiras formas de vida multicelular do planeta

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 26/02/2021, às 07h00

O fóssil descoberto na Índia
O fóssil descoberto na Índia - Divulgação/G.J.Retallack et al

O paleontólogo da Universidade de Oregon Gregory Retallack liderou uma pesquisa que estudou um fóssil impressionante descoberto no sítio arqueológico de Bhimbetka, que data de 55 milhões de anos atrás e está localizado na Índia. 

De acordo com o portal local Firstpost, foi a primeira vez que um organismo fossilizado desse tipo foi encontrado no país. Para os pesquisadores, o fóssil data do Ediacarano, período em que formas de vida mais modernas começaram a se espalhar pelo planeta, há 630 e 542 milhões de anos.

A descoberta do organismo mostrou-se ainda mais importante porque a coloca com outros outros poucos fósseis que datam do mesmo período. Por serem criaturas de corpo mole, é muito difícil encontrar restos preservados das espécies.

Os especialistas acreditam que o fóssil é de uma criatura oval chamada Dickinsonia. Ela apresenta nervuras em seu corpo, que cresceu mais de um metro de largura. Acredita-se que ela foi uma das primeiras formas de vida multicelular, o que pode colocá-la como a origem de outras formas de vida mais modernas.

Na região russa do Mar Branco, foram encontrados fósseis de Dickinsonia que tem aproximadamente 555 milhões de anos. Outros exemplos foram identificados no sul da Austrália, que são estimados em 550 milhões de anos. 

Mais estudos serão realizados pela equipe de pesquisadores, considerando a importância da descoberta. Segundo os paleontólogos, o fóssil demonstra algumas características do organismo, que compartilhavam particularidades com rochas, como textura e presença de cianobactérias.