Notícias » Europa

Franceses fazem protestos contra implementação de passaporte sanitário

A França anunciou mudanças para conter o coronavírus no último sábado, 18

Paola Orlovas, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 20/12/2021, às 15h48

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Getty Images

Protestos contra o passaporte sanitário tomaram as ruas francesas no último sábado, 18, pela 23ª vez consecutiva, enquanto o governo francês anunciou mudanças na medida para, assim, fazer com que mais pessoas se vacinem contra o coronavírus.

Foi estimado por autoridades francesas que 5 mil pessoas se manifestaram na capital, Paris, e 25 mil estiveram presentes em protestos por toda a nação. Na semana passada, apenas 20 mil pessoas compareceram aos processos, segundo informações da AFP.

Ainda segundo a agência, as manifestações, que acontecem desde julho, vem perdendo força, depois das manifestações terem atingido um pico de 237 mil franceses participantes. 

Jean Castex, o primeiro-ministro do país, disse, na última sexta-feira, 17, que o documento necessário para entrar em restaurantes e espaços de lazer e cultura deixará de ser um passaporte de saúde e passará a ser um passaporte de vacinação durante o início de 2022.

Até então, para se obter acesso a estes estabelecimentos, bastava um teste negativo para coronavírus, mas isso deixará de valer. Agora, será preciso demonstrar um esquema vacinal completo, com dose de reforço, ou ter se curado de covid-19 recentemente.