Notícias » Brasil

Governador do Rio fala sobre sequestro de helicóptero: 'Foi muito esquisito'

O tenso episódio se desenrolou no último final de semana

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 21/09/2021, às 15h45

Aeronave rodopia sobre quartel
Aeronave rodopia sobre quartel - Divulgação / YouTube / CNN Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), comentou o sequestro de um helicóptero particular que ocorreu na capital do estado no último domingo, 19, com o objetivo libertar um preso detido no Complexo Penitenciário de Gericinó. 

Vale lembrar que a operação criminosa falhou. Uma vez que a aeronave chegou à cadeia, os presos já não estavam no pátio, e sim dentro de suas respectivas celas. 

“Não houve nenhuma movimentação de nenhuma natureza na penitenciária, o que faz até a gente achar que era alguém que foi pago e que achou que teria essa condição. Foi muito esquisito o que aconteceu, mas a gente já está investigando para poder entender”, disse Castro, conforme repercutido pelo G1. 

Relembre o caso

Uma dupla de bandidos armados rendeu o piloto da Polícia Civil, AdonisLopes, enquanto o helicóptero já estava no ar, e em seguida o obrigaram a voar em direção ao presídio.

“Eu desconfiei quando eles embarcaram, pelo comportamento deles. Inicialmente as duas pessoas estavam no banco de trás, mas, assim que eu decolei, um deles pulou para a frente do helicóptero com a pistola na mão. A pessoa que estava no banco de trás que estava com um fuzil. Disseram que não era nada comigo, só mandaram eu ir para Bangu para ‘tirar o colega deles’ da cadeia”, disse ele em entrevista à CNN.  

Ainda segundo o veículo, Lopes chegou a entrar em confronto corporal com os criminosos durante o voo. 

A luta apenas parou quando o homem fez uma manobra que tinha o objetivo de simular uma queda, assim fingindo que a aeronave iria cair se os outros não parassem.

O angustiante episódio terminou quando os bandidos, tendo desistido de sua missão, decidiram saltar do helicóptero durante um momento em que ele estava voando próximo do chão, e Adonis teve a oportunidade de voar para longe, onde pôde pousar em um local seguro.