Notícias » Brasil

Hipster da Federal teria ameaçado moradores antes dos tiros

O autor relatou que o policial federal afirmou “vou entrar e matar” antes de arrombar a porta e ser baleado

Redação Publicado em 03/03/2022, às 13h55

Foto pessoal de Lucas Valença e sua condução de Eduardo Cunha
Foto pessoal de Lucas Valença e sua condução de Eduardo Cunha - Divulgação / Arquivo Pessoal e Wilson Dias / Agência Brasil

Na noite da quarta-feira, 2, o policial Lucas Valença, de 36 anos, desligou a energia de uma propriedade e arrombou a casa na fazenda Santa Rita, em Buritinópolis, município de Goiás. O apelidado ‘Hipster da Federal’ foi alvo de um tiro do dono da residência e faleceu no local, após ser socorrido por uma ambulância.

Valença, segundo o boletim de ocorrência registrado, sofreu um surto psicótico antes de entrar na propriedade Santa Rita e estava fora de si quando arrombou o local. O boletim, preenchido após a prisão do dono da fazenda Santa Rita, revelou que a morte do policial foi resultado de um único tiro no peito da vítima

De acordo com a cobertura do portal de notícias R7, o autor do disparo relatou que Lucas Valença teria ameaçado os habitantes da casa antes de completar seu ataque. O Hipster da Federal, segundo a declaração do delegadoAdriano Jaime Carneiro, da Delegacia Regional de Posse, mandou todos saírem da residência.

Segundo relatos do autor, ele estava em casa com a filha e a esposa, quando começou a ouvir gritos do lado de fora. A vítima (Lucas) dizia: 'Saiam todos de dentro de casa, senão vou entrar e matar'", detalhou.

O dono da casa responde em liberdade pelo caso, que tecnicamente deve ser considerado como legítima defesa, e a apuração deve ser feita por inquérito policial.

Um dos grandes questionamentos deste caso é a condição da posse irregular de arma de fogo, pelo autor, e o que será feito sobre isso.