Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Entretenimento

Jada Smith tem ‘esperança profunda’ em reconciliação de Will Smith e Chris Rock

Polêmica do Oscar 2022 foi abordada pela primeira vez pela atriz, que foi alvo da piada estopim do tapa

Redação Publicado em 02/06/2022, às 10h26

Jada Pinkett Smith e momento do tapa no Oscar 2022 - Getty Images
Jada Pinkett Smith e momento do tapa no Oscar 2022 - Getty Images

Jada Pinkett Smith se posicionou sobre a polêmica do Oscar 2022 pela primeira vez desde o episódio, quando foi alvo de uma piada controversa feita pelo comediante Chris Rock, que recebeu um tapa do marido da atriz, Will Smith.

Em entrevista ao programa Red Table Talk, repercutida pela Rolling Stone Brasil, a artista afirmou que tem “esperança profunda” de que os dois se reconciliem após o ocorrido, que vem sendo considerado um dos momentos mais polêmicos da história da cerimônia.

"Sobre a noite do Oscar. Minha esperança mais profunda é que esses dois homens inteligentes e capazes tenham a oportunidade de se curar, conversar sobre isso e se reconciliar”, disse ela.

“No estado atual do mundo, precisamos de ambos. E todos nós realmente precisamos uns dos outros mais do que nunca. Will e eu continuamos a fazer o que temos feito nos últimos 28 anos, e isso é continuar descobrindo essa coisa chamada ‘vida’ juntos”, completou.

Relembre a polêmica

Will Smith deu um tapa no rosto de Chris Rock após o comediante fazer uma piada com a esposa do ator, Jada Pinkett Smith. “Jada, eu te amo. Mas espero vê-la em G.I Jane 2 [a suposta sequência onde Demi Moore aparece careca]”, disse Rock à Jada.

A atriz sofre de alopecia e pareceu estar desconfortável com o comentário. Chris então continuou: “Essa foi das boas. Ok. Vou embora daqui”. Will então subiu no palco e lhe deu o tapa, gritando de volta à sua mesa: "Tire o nome de minha mulher da p*rra da sua boca".

Depois do ato, Smith foi banido do Oscar e de todos os eventos promovidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas até 8 de abril de 2032. Ao anunciar a punição, a academia também declarou esperar que essa decisão resulte num “tempo de cura e restauração”.