Notícias » Rússia

Justiça russa condena Alexei Navalny, principal opositor de Vladimir Putin

"Nosso país se apoia na injustiça”, declarou Navalny, que acumula diversos processos judiciais na Rússia e deve cumprir pena prolongada

Larissa Lopes, com supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 22/02/2021, às 15h00

Alexei Navalny em vídeo do The Guardian
Alexei Navalny em vídeo do The Guardian - Divulgação/Youtube

Um tribunal de apelações sentenciou, no último sábado, 20, o principal adversário do governo russoAlexei Navalny. Trata-se do homem que é alvo de diversos processos judiciais na Rússia, segundo informações da agência AFP, repercutidas pelo UOL.

Navalny foi preso no mês passado, quando retornou ao país. Ele estava em tratamento na Alemanha, depois que sofreu um envenenamento quase fatal pelo agente químico novichok. Ele responsabiliza o presidente Vladimir Putin pela tentativa de assassinato.

Sua pena foi diminuída em um mês pelo juiz Dmitri Balashov e, agora, o opositor russo terá de passar dois anos e meio na prisão, sob a acusação de desrespeitar o controle judicial. 

A violação teria acontecido no período em que Navalny estava se recuperando na Alemanha, mas, esse é apenas o primeiro de vários processos contra ele.

Navalny sendo preso em 2017. Crédito: Wikimedia Commons

 

Na audiência do último sábado, 20, Alexei estava presente e rejeitou a condenação. "Comprei uma passagem e disse a todo mundo que voltaria para casa. Isso é um absurdo", disse em reação ao juiz. Balashov respondeu que, além de infringir a lei, Navalny agiu como se estivesse acima das normas.  

"Nosso país se apoia na injustiça. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão satisfeitos", declarou Navalny, em citação da Bíblia, depois de receber a sentença.

A porta-voz do tribunal de Moscou, Uliana Solopova, afirmou à AFP que o homem poderá ser transferido para um dos vários campos de trabalho na Rússia

Essa é uma medida obrigatória que vem da antiga União Soviética: a de cumprir a maioria das sentenças em campos de trabalho prisionais, isto é, locais afastados de tudo, mas que abrigam oficinas de costura ou fabricação de móveis.

Repercussão

A União Europeia e os Estados Unidos fizeram inúmeros apelos à Rússia exigindo a liberação de Navalny. Contudo, o governo de Moscou vê a atitude como “interferência” em seus assuntos, e reagiu em retaliação aos europeus.

Partidários de Alexei Navalny esperam realizar novas manifestações contra o governo russo durante a primavera e verão, já que acontecerão as eleições legislativas.